Cultura

Governo lança cartilha na abertura da 17ª Semana dos Povos Indígenas

O evento segue até o dia 17 de abril no Museu do Piauí.
Fonte: Governo do Piauí | Editor: Redação 15/04/2019 15:59
Abertura da Semana dos Povos Indígenas Abertura da Semana dos Povos IndígenasFoto: Francisco Leal

O governador Wellington Dias participou, nesta segunda-feira (15), da abertura da 17ª Semana dos Povos Indígenas, promovida pelo Museu do Piauí - Casa Odilon Nunes, para naltecer e celebrar a cultura indígena. A cerimônia, marcada pela realização do Ritual Toré, pelos grupos indígenas presentes, abriu a programação do evento, que segue até o dia 17 de abril.

De acordo com a diretora do museu, Dora Medeiros, o evento começou a ser realizado timidamente para celebrar o Dia do Índio, 19 de abril, e hoje já faz do calendário da Casa Odilon Nunes e ganha seu reconhecimento pelas comunidades indígenas. "A cada ano recebemos mais comunidades, pois eles fazem questão de vir e participar, bem como utilizar esse momento para reivindicar seus direitos e discutir propostas", destacou Medeiros.

A estudante Tércia Cristina foi conhecer a cultura indígena. "Não sabia a diferença entre o pajé e o cacique. Achei muito interessante o modo como eles se vestem, cantam e dançam; é uma cultura riquísima, sem dúvidas", disse a aluna.

Na oportunidade, o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, lançou a cartilha "No Piauí tem índio sim", publicação que fomenta políticas públicas direcionadas aos índicos e reflete sobre a organização da saúde indígena no Piauí. "A discussão sobre a saúde indígena, aliado a estudos científicos, está consolidada nessa cartilha, que reflete sobre a saúde indígena e consolida sua presença no estado", explicou o gestor.

O pajé Chicão contou que se sente reconhecido e satisfeito pelas conquistas para sua comunidade. "É uma satisfação muito grande ser chamado para participar todos os anos desse evento. Já conseguimos muita coisa, como uma escola para a comunidade, meios de trabalho, terra, mas a satisfação maior é porque aqui é um resgate de memória, que não podemos deixar acabar", comentou o indígena.

O governador reiterou a garantia de direitos dos índios e os avanços já conquistados para as comunidades, como escola e terras para trabalharem. “O índio quer o que todos nós queremos, meios para trabalhar, estudar e, acima de tudo, respeito. Temos várias comunidades indígenas no Piauí, o IBGE está aqui para provar isso. Seres humanos com total capacidade de trabalhar e que precisam ter seus direitos reconhecidos", explicou Wellington, que solicitou à vice-governadora Regina Sousa que coordene a política indígena no Estado.

A programação segue com uma exposição do artista plástico Orlando Bonfim, além de palestras e mesas-redondas, no qual serão colhidas propostas e levada para apreciação do governador.

Autoria: Marília Andrade

Comentários