Política

Governo investe na melhoria da autoestima do servidor

Programa de Educação Financeira é uma das ações motivadoras implementadas pelo Estado
Fonte: SeadPrev | Editor: Paulo Pincel 30/09/2017 08:30
Lançamento do programa no Palácio de Karnak Lançamento do programa no Palácio de KarnakFoto: CCom/Jorge Bastos

Melhorar o rendimento no trabalho e reduzir o número de servidores com problemas financeiros – a maioria com dívidas não quitadas – e comprometendo a maior parte dos salários com o pagamento de empréstimos consignados – sete em cada dez servidores tomaram dinheiro emprestado juntos à instituição financeira.

Esses são dois dos objetivos principais do Programa de Educação Financeira dos Servidores Estaduais, que ganhou destaque na mídia nacional. Além de receberem as aulas sobre economia doméstica, os servidores têm atendimento personalizado, onde é verificada a situação financeira de cada um e as possibilidades de renegociação dessas dívidas.

A ação governamental - lançada em julho pelo governador Wellington Dias, no Palácio de Karnak - é uma parceria entre a Secretaria de Administração e Previdência, Universidade Estadual, Eletrobrás, Agespisa e bancos públicos e privados e Câmara dos Dirigentes Lojistas.

O programa vai facilitar a negociação de diferentes tipos dívidas de servidores públicos. Nos postos de atendimento, os servidores recebem orientações especializadas e personalizadas sobre como equacionar suas dívidas, sobre como pagar as contas de água, energia, telefone, aluguel, cartão de crédito, mensalidade escolar e outras despesas mensais.

Além do equilíbrio das contas, o Programa de Educação Financeira busca capacitar os servidores para lidar e planejar seus investimentos domésticos, uma das ações práticas será a realização de minicursos com especialistas da área econômica.

“Estamos fazendo um gesto de viés econômico, de dar solução para que as pessoas ganhem um oxigênio. Alguém que fez um contrato e pagou taxas mais elevadas, ter a condição de negociar taxas menores. É um caminho para alguém que se endividou no cheque especial, onde as taxas são altíssimas, alguém que se endividou no cartão de crédito onde as taxas também são elevadas, fazer uma repactuação das dívidas em casos que são essenciais como a Agespisa e Eletrobras, a água e a luz que são questões básicas”, explicou o governador Wellington Dias, durante o lançamento.

O secretário Franzé Silva adverte que a ausência de um planejamento financeiro, somada às altas taxas de juros praticadas no mercado financeiro, resulta numa “ciranda de endividamento”.

“Temos de agradecer às instituições financeiras que se disponibilizaram a baixar as taxas. Hoje ela oscila no mercado até 3%, nós estamos baixando essa taxa de consignado para no máximo 1,99%. Os bancos vão trabalhar taxas menores de acordo com a capacidade e o perfil de cada servidor”, adiantou.

O Programa de Educação Financeira dos Servidores Estaduais também dará a oportunidade de milhares de piauienses restabelecerem sua cidadania de compra junto ao mercado convencional e bancário e ao mesmo tempo motivar o servidor, que sairá de casa mais tranquilo e equilibrado psicologicamente.

Através do termo de cooperação assinado, as entidades se comprometem em facilitar créditos, ampliar parcelas e reduzir taxas de juros, atendendo aos objetivos do programa do governo do Estado.

A participação de entidades financeiras, como a Caixa Econômica Federal, se dá no sentido de apoiar o Governo do Estado e, ao mesmo tempo, funcionar enquanto agente financeiro, viabilizando o alongamento de dívidas e facilitando o crédito.

Comentários