Política Nacional

Gleisi diz que Moro ajudou a eleger e vai ajudar a governar

"Grampeou a presidenta e vazou para imprensa a delação de Palocci", acusa a petista
Fonte: O Globo | Editor: Paulo Pincel 01/11/2018 13:02
Senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT Senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PTFoto: Edilson Dantas / Agência O Glob

Logo após o juiz Sergio Moro aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Justiça , a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, usou as redes sociais para ironizar o magistrado. Com a ida de Moro para o governo do capitão da reserva, a defesa de Lula irá reforçar a tese de que o juiz não tinha isenção para julgar o ex-presidente.

A senadora lembrou de episódios criticados pelo partido, como a divulgação dos áudios da interceptação telefônica de Lula e de um dos trechos da delação do ex-ministro Antonio Palocci.

- Moro será ministro de Bolsonaro depois de ser decisivo para sua eleição, ao impedir Lula de concorrer. Denunciamos sua politização quando grampeou a presidenta da República e vazou pra imprensa; quando vazou a delação de Palocci antes das eleições - disse Gleisi, que ironizou: - Ajudou a eleger, vai ajudar a governar.

Mais cedo, a senadora já questionara o encontro entre Moro e Bolsonaro. Gleisi lembrou de declarações de Bolsonaro que já afirmou que os "marginais vermelhos serão banidos da nossa pátria" e que o ex-presidente Lula irá "apodrecer na cadeia".

- Sérgio Moro não vê problema em conversar com presidente eleito e considerar seu convite para ocupar um ministério. O presidente em questão falou que Lula vai apodrecer na cadeia e quer exterminar os vermelhos. Viva juízes isentos como Moro e presidentes democráticos como Bolsonaro! - disse.

Em reunião após a derrota para Jair Bolsonaro, o PT decidiu que irá mobilzar uma campanha internacional pela liberdade do ex-presidente.

Comentários