Cultura

Fundação Monsenhor Chaves é marcada pela música em 2017

O ano foi expressivo com a manutenção de atividades tradicionais e implantação de novos projetos
Fonte: Prefeitura de Teresina | Editor: Redação 26/12/2017 15:49
Casa da Cultura Casa da CulturaFoto: Reprodução

A música é instrumento da alma, fortalece e compartilha. O ano de 2017 foi marcado pela música, ações, projetos, eventos que ajudaram os artistas locais a se aproximarem do público, como o Chapadão, Festival de Violões, projeto Banda Escola, Orquestra Sinfônica e Sanfônica de Teresina e muito mais.

Carro chefe da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, a música se fez presente em casas culturais, ruas, avenidas, parques, Igrejas, shoppings, centros culturais, casa de eventos e repartições. "A área musical mostrou um potencial gigantesco de aproximação com a população. Investimos em projetos e ações que pudessem despertar na comunidade a vontade de estar mais presente e participativo com eventos públicos assim como para que nossos artistas alcançassem uma nova gama de pessoas", disse Luis Carlos Alves, presidente da FMC.

O grande destaque do ano foi o Palácio da Música, que além de oficinas protagonizou novos projetos e projetos já consagrados no eixo cultural da cidade, como o Festival de Bandas, Chapadão, Concertos Matinais. Entre as novidades estão o I Festival de Violão, que em três dias recebeu músicos reconhecidos nacional e internacionalmente para concertos, palestras e aulas e o projeto Terça Maior, que garantiu um espaço de veiculação aos artistas locais todas as terças-feiras.

Há 9 anos trabalhando com música e junto a Orquestra de Violões há 4 anos, Ravi Cordeiro, acredita que a música representa a variação da vida. "Em qualquer momento a música se faz presente, seja em alegria, tristeza, a música é vida. Ela tem o papel social, de diversão, de crítica, uma variedade", disse.

"A música em Teresina é diferenciada. Sentimos em todo lugar a energia dos nosso músicos e nesse ano a fundação mostrou a toda a cidade o valor dos nossos artistas", afirmou o prefeito Firmino Filho.

Com uma nova gestão, o ano de 2017 foi um ano de experiências e oportunidades, com maior participação daqueles que fazem parte da casa e maior envolvimento com a população. Para o superintendente da FMC, Abiel Bonfim, mostrar o trabalho dos artistas é um grande investimento em todos os segmentos culturais e na música, o grande objetivo é preservar e incentivar.

"Nosso foco é incentivar tanto os músicos quanto a população. É trazer para a cidade o sentimento de acolhida e identificação com ações, festivais, concertos. 2017 provou que a comunidade e artistas precisam de incentivo para que a cultura seja cada vez mais valorizada", conta.

O ano foi expressivo com manutenção de atividades já tradicionais e implantação de novas atividades. Além de oficinas espalhadas em todas as zonas da cidade, como violão e sanfona, novos projetos entraram para o circuito cultural da cidade como Arte Que Toca Gente que leva amor em forma de música para entidades filantrópicas, Festival de Violão que trouxe concertos e aulas para a classe com artistas renomados, Arte Em Toda Parte que reúne arte em vários pontos do centro da Cidade, o Terça Maior que leva artistas convidados para apresentações gratuitas no Palácio da Música. A promessa é que esse projetos permaneçam no calendário de 2018 juntamente com aqueles eventos já tradicionais de Teresina.

Comentários

Matérias Relacionadas