Saúde

FMS apresenta para OPAS ações inovadoras da saúde na capital piauiense

Teresina é a terceira cidade a receber o Laboratório de Inovação Atenção Primária Forte
Fonte: PMT | Editor: Redação 06/04/2018 08:48
Foto FotoFoto: Ascom

Representantes da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) estão em Teresina até esta sexta-feira (06) avaliando ações de saúde para o projeto Laboratório de Inovação Atenção Primária Forte, que tem por objetivo identificar e valorizar as práticas inovadoras que priorizam o cuidado centrado no paciente com mudança do modelo assistencial, por meio da divulgação e troca de experiências com outras regiões do Brasil e outros países.


Nesta quinta-feira (05), a equipe da OPAS, acompanhados de equipe técnica da Fundação Municipal de Saúde, visitaram a Unidade Básica de Saúde do Poti Velho, Maternidade do Buenos Aires, Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde e Academia de Saúde do Angelim. “Às vezes quem trabalha na atenção básica de saúde realiza atividades cotidianas que não entende como inovadora, mas algo inovador não precisa ser algo extremamente caro para ser executado. Mas sim ideias simples que fazem a diferença dentro da comunidade”, diz Iasmine Ventura da OPAS.


Teresina é a terceira cidade a receber o Laboratório de Inovação Atenção Primária Forte, que até então estava nas cidades de Brasília e Porto Alegre. Hoje os representantes da OPAS foram apresentados aos programas que na UBS Poty Velho, que é ponto de apoio de uma equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que promove aulas de dança, orientação nutricional, ações educativas, entre outros. Eles também puderam conferir o projeto de terapias integrativas que acontece no local, além do programa de próteses na atenção básica e a informatização do local, por meio do esus.


Já na maternidade do Buenos Aires, os representantes conheceram o programa ‘Mãe Teresinense’, que promove uma ponte entre atenção básica e maternidades por meio da assistência às gestantes em situação de vulnerabilidade social e renda, garantindo o deslocamento da mãe e seu filho recém-nascido da maternidade para casa.


Na Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) eles ficarem cientes sobre a Unidade de Respostas Rápidas às Emergências Epidemiológicas (URR), que visa monitorar o conjunto de doenças de notificação compulsória, bem como de agravos inusitados, surtos e eventos epidemiológicos de interesse público. Também na DVS foi exposto como se faz o trabalho intersotorial de combate as arboviroses na capital. Citando a Faxina nos Bairros, que acontece desde dezembro de 2015 e já retirou da cidade até o momento 8.322 toneladas de lixo, incrementando as ações de controle vetorial contribuindo para redução em torno de 50% da incidência de casos de dengue, chikungunya e zika em Teresina.


Para finalizar as visitas do dia, representantes da OPAS e da FMS foram até a Unidade Básica de Saúde do Angelim, focando na Academia da Saúde do local, que desenvolve ações que promovem práticas corporais e atividade física, promoção da alimentação saudável, educação em saúde, entre outros, além de contribuir para a produção do cuidado e de modos de vida saudáveis e sustentáveis da população.


Visitas


Nesta sexta, último dia de visitas dos representantes da OPAS às unidades de saúde de Teresina, a programação começa pelo Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM), onde crianças com dificuldade de aprendizagem recebem atendimento terapêutico multidisciplinar. O PROVIDA, ambulatório especializado no tratamento de pessoas com ideação suicida, também será apresentado aos representantes da Organização Pan-Americana da Saúde. E para finalizar o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantil terá a presença dos avaliadores de ações de saúde para o projeto Laboratório de Inovação Atenção Primária Forte.

Comentários