Política Nacional

Flávio Bolsonaro premiou "guarnição do mal" de miliaciano

Fabrício Queiroz, que viria a ser assessor parlamentar de Flávio, também foi homenageado
Fonte: O Globo/Diário do Centro do Mundo | Editor: Paulo Pincel 03/02/2019 13:26
Flávio Bolsonaro Flávio BolsonaroFoto: Adriano Machado/Reuters

Além do ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega — apontado pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) como chefe da milícia do Rio das Pedras e do Escritório do Crime —, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) homenageou outros sete companheiros dele no 16º BPM (Olaria), segundo reportagem do jornal O Globo.

Os integrantes do grupo, conhecido como “guarnição do mal” em comunidades da Zona Norte, receberam moções de louvor na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) no dia 4 de novembro de 2003. Só mais um policial militar da ativa foi homenageado na ocasião: Fabrício Queiroz, que viria a ser assessor parlamentar de Flávio.

Após a homenagem, num período de cerca de um mês, Adriano e os mesmos colegas do Grupamento de Ações Táticas (GAT) se envolveram no sequestro, tortura e extorsão de três jovens da favela de Parada de Lucas, na Zona Norte. Até que, em 27 de novembro daquele ano, eles foram apontados como os executores do morador Leandro dos Santos Silva, de 24 anos.

(…)

Comentários