Cultura

Festival de Rabecas completa 10 anos e se torna um dos principais eventos culturais do Piauí

Fonte: Ascom Secult | Editor: Redação 10/10/2017 14:21
Festival da Rabeca Festival da RabecaFoto: Ascom Secult

Instrumento musical da família das cordas, a rabeca é precursora do violino, mas diferente do instrumento erudito nasceu nos terreiros e se consagrou com a cultura popular. Em Bom Jesus, o instrumento encontrou mãos e talento de sobra para celebrar a música e as manifestações culturais do sul do Piauí. O festival que celebra a rabeca chega a sua 10ª edição este ano e já colhe os frutos deixados na cidade.

Com o intuito de preservar e disseminar a tradição desse instrumento, muitas vezes discriminado, que nasceu, em 2008, o Festival de Rabecas de Bom Jesus. A iniciativa teve como principal inspiração o mestre rabequeiro Joaquim Carlota, filho da cidade, que toca desde os 12 anos o instrumento que aprendeu sozinho.

“Nosso objetivo desde o início foi de preservar essa tradição tão antiga da rabeca e repassar esse conhecimento às novas gerações. Além disso, o festival esse ano também terá oficinas grafite, dança, bonecos e várias outras do circuito cultura viva”, conta o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo.

O evento tomou grandes proporções e se expandiu para outras artes, possibilitando o acesso gratuito de crianças e jovens do município a oficinas de dança, teatro e outros instrumentos musicais. O município ganhou o Espaço Cultural Mestre Joaquim Carlota que se tornou o local fixo para as oficinas permanentes e também para a primeira orquestra de rabecas do Brasil, formada por jovens de escolas públicas.

O professor e bailarino Francisco Rodrigues participa desde os 11 anos do festival e ressalta a importância do evento para a cidade. “Participo desde a primeira edição. Esse evento só me traz aprendizado, experiência e é através dele que posso transmitir a arte com a dança. Hoje sou professor e fico feliz por este ano estar com 70 alunos, entre crianças e adolescentes, que podem aproveitar essa oportunidade da mesma forma que aproveitei”, diz Francisco.

A programação desse ano mantem a cultura popular como foco principal, com apresentação dos mestres rabequeiros, da orquestra de rabecas e vários grupos no palco principal Joaquim Carlota. O palco do Queijinho recebe o resultado de oficinas permanentes, que acontecem durante todo o ano, e das oficinas do circuito Cultura Viva, que já passou pelas cidades de São João do Piauí, Cristino Castro e Uruçuí. Serão oferecidas oficinas de audiovisual, hip hop, grafite, libras, entre outras que acontecerão nas escolas públicas de Bom Jesus.

O evento cresceu e hoje atrai público de outros estados e até de outros países. Diversos artistas já passaram pelo palco do festival que recebeu ao longo desses anos nomes consagrados da música brasileira. O palco principal recebe nessa 10ª edição o piauiense Chambinho do Acordeon, as cantoras Solange Almeida, Margareth Menezes, Joelma, entre outros shows.

O 10º Festival de Rabecas é uma realização da Associação de Filhos e Amigos de Bom Jesus com o apoio do Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Cultura e patrocínio da Caixa Econômica e do Governo Federal.

Comentários