Polícia

Ex-tenente que matou namorada vai para presidio comum

A AGu entrou com pedido de transferência de José Ricardo Silva Neto
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Luiz Brandão 06/11/2017 21:37
Segundo tenente José Ricardo da Silva Neto Segundo tenente José Ricardo da Silva NetoFoto: Reprodução

O ex-tenente do Exército, José Ricardo Silva Neto, 22 anos, deve ser transferido para um presídio comum, a pedido da Advocacia Geral da União. A AGU ingressou com ação pedindo a saída do militar do 2º Batalhão de Engenharia e Construção, onde é mantido preso para uma penitenciária comum, onde deverá aguardar julgamento pelo feminicídio contra a namorada Iarla Lima Barbosa, estudante de 25 anos morta a tiros de pistola pelo oficial do Exército no dia 19 de junho deste ano.

O advogado da AGU, Francisco Almeida, explicou que a ação pedindo a transferência atende a um pedido do comando do 2º BEC. O arumento é que José Ricardo não é mais dos quadros do Exército e, portanto, deve ser mantido em um presídio comum. A União não é mais responsável pelos gastos com o preso, destacou Almeida.

O agora ex-oficial ajuizou ação de reintegração a cargo público na Justiça Federal, tentando anular a decisão do 2º BEC.

A audiência de instrução e julgamento do homicídio triplamente qualificado, praticado contra Iarla, e tentativa de duplo homicídio, contra a irmã e a amiga da estudante, vai acontecer no próximo dia 22 de novembro. A data foi anunciada pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Antônio Reis de Jesus Noleto.

Comentários