Saúde

Evangelina Rosa: Opção do parto normal oferece melhor recuperação

Humanizar e melhorar a assistência à gravidez, ao parto e ao pós-parto é o maior objetivo.
Fonte: CCOM | Editor: Redação 11/07/2017 09:37
Maternidade Evangelina Rosa Maternidade Evangelina RosaFoto: Ascom Sesapi

Humanizar e melhorar a assistência à gravidez, ao parto e ao pós-parto. Esse é o principal objetivo do Centro de Parto Normal Introspitalar (CPNi) da Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER).

A estrutura do CPNi da MDER conta com 5 leitos para quarto Pré-Parto, Parto e Pós-Parto (PPP) individualizado, cada um com cavalinho, barra fixa, bola suíça, berço aquecido e banheiro anexo, onde possibilita a realização dos cuidados para alívio da dor, como banho morno, deambulação, massagem, presença do acompanhante e exercícios na bola e barra fixa, respeitando a fisiologia do parto, evitando intervenções e acompanhamento do trabalho de parto por meio do partograma. O médico obstétrico é chamado apenas quando surge alguma intercorrência. O pediatra é o responsável pela alta hospitalar do recém-nascido.

No CPNi da MDER, as grávidas escolhem a melhor maneira para dar à luz, sempre de forma natural, sem uso de medicamentos, tendo a oportunidade de receber o seu filho em contato pele a pele logo que nasce e amamentá-lo na primeira hora após o parto.

Luisa Samiris Silva Sousa, mãe da pequena Ester Sousa Cerqueira, explica que no pré-natal conversou bastante com o obstetra que a acompanhou, além de ter realizado várias pesquisas sobre o processo de recuperação do parto normal. “Eu fiz um pré-natal seguindo todas as orientações do obstetra, realizando todos os exames, tendo uma alimentação mais balanceada e realizando atividades físicas, como me orientou o médico. A escolha de ter meu bebê por meio do parto normal surgiu após pesquisas que realizei, onde eu pude observar que a recuperação seria bem melhor, além de inúmeros benéficos tanto para mim, quanto para minha filha. Também contei com o apoio de minha família, que foi fundamental para minha escolha”, comenta a mãe.

Luisa diz ainda que já tinha tido um primeiro filho na Evangelina Rosa de parto normal. “Na minha primeira gestação, eu fiquei mais apreensiva, com um pouco de medo, mas agora, nesta segunda, não tive nenhuma dúvida em relação ao parto normal. A recuperação é bem mais rápida e a equipe de profissionais da Evangelina Rosa é muito atenciosa”, declara Luisa.

Ao ser questionada sobre a hora do nascimento da pequena Ester, Luisa diz sorrindo, “Eu fui bem recebida por toda a equipe de profissionais da Maternidade Dona Evangelina Rosa, acho que com isso fiquei bem mais segura e confiante. Meu parto foi rápido, eu cheguei às 14h30 e minha filha nasceu as 16h45”, e conclui dizendo, “eu pensei que sentiria mais dores, mas foi uma dor suportável. Estou feliz em ter optado pelo parto normal, e, se eu resolver ter outros filhos, irei tê-los por parto normal”.

Ester Sousa Cerqueira, nasceu no dia 21 de junho de 2017, no horário das 16h45, pesando 2.975kg, e 48c, no Centro de Parto Normal da Maternidade Dona Evangelina Rosa. A criança nasceu saudável e a mãe não teve nenhuma interferência. As duas já receberam alta.

Outra paciente que escolheu o CPN da Evangelina Rosa para ter o seu filho foi Lilian Luana Santana Costa, de 23 anos, que pela terceira vez optou em ter parto normal. “Fiz essa opção por conta dos benefícios da recuperação. Este será meu terceiro filho que escolho ter aqui no Centro de Parto Normal da Evangelina Rosa. Sempre sou tratada com muito zelo. Minha recuperação é rápida. E aqui tenho os cuidado de uma equipe de profissionais bastante atenciosos”, conta a mãe.

Francisca Lima, enfermeira obstetra e coordenadora responsável pelo CPNi da MDER, explica que o centro contribue para reduzir o número de cesarianas desnecessárias. “Toda gestante que chega à maternidade passa pelo acolhimento com classificação de risco para uma avaliação clínica, e as gestantes que apresentam risco habitual são encaminhadas para o CPN”, conclui a coordenadora.

Comentários