Política

Erivan Lopes e Ricaro Gentil batem boca no TJ-PI

Foi durante a votação que elegeu o novo presidente Sebastião Ribeiro Martins
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alliny Maria 01/10/2018 18:03
O presidente do TJ-PI, desembargador Erivan Lopes O presidente do TJ-PI, desembargador Erivan LopesFoto: Ascom/TJ-PI

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Erivan Lopes, bateu boca com o também desembargador Ricardo Gentil Eulálio Dantas, corregedor-geral de Justiça, por causa da mudança no Regimento do TJ-PI para, segundo o corregedor, beneficiar o desembargador Sebastião Ribeiro Martins, que foi eleito presidente durante votação na manhã desta segunda-feira (1º/10). Houve acusação das duas partes.

"Para se sentar nessa cadeira é preciso ter equilíbrio emocional, ser racional e tolerar muitos insultos. A história mostra que o senhor não está preparado para isso. Fez um discurso como se só o senhor tivesse virtudes, atirou pedras contra o seu próprio tribunal. É preciso ter coerência. A história mostrou que atuei corretamente em não manter o apoio que outrora pensei em lhe oferecer. Vossa excelência não tem o equilíbrio necessário para assumir essa presidência", atacou o presidente Erivan Lopes.

Ricardo Gentil devolveu: "Parece que a carapuça lhe serviu. Eu não estou aqui atrás de cargos, só queria que o regimento fosse respeitado".

O corregedor argumentou que Sebastião Martins teria que renunciar ao cargo de vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, como previsto anteriormente no regimento, antes da eleição. Pela nova redação do regimento, a renunciar pode acontecer no dia da posse, em 7 de janeiro de 2019.

Já o novo presidente, eleito sem o voto de Gentil,, garante que não existe mágoa. "Eu não guardo rancor do juiz Ricardo Gentil. Ele é um grande juiz, todo mundo sabe disso. Se ele tivesse sido candidato eu teria votado nele, eu não me ofereci para ser presidente, eu fui convidado. Nós estamos numa democracia e o juiz Ricardo Gentil tem todo o direito de votar contra", ponderou. “Vamos administrar para todos. Essa é a nossa postura. Vamos trabalhar ainda para aumentar a produtividade do Tribunal de Justiça. O presidente Erivan Lopes tem feito um grande trabalho neste sentido e nós vamos continuar. O importante é que o Tribunal sirva aos anseios da sociedade”, concluiu Martins.

Comentários