Economia

Empoderar mulher provoca 'mudança radical' na economia, diz FMI

Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional defendeu igualdade de gênero
Fonte: Noticias ao minuto | Editor: Redação 19/11/2016 18:03 - Atualizado em 20/11/2016 15:52
Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde. Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde.Foto: Reprodução

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu o empoderamento feminino como forma de "mudança radical" na economia dos países. Para a dirigente, a redução de desigualdade de gênero não deve ser encarada como uma "política auxiliar".

A declaração foi feita na sexta-feira (18), durante os eventos da cúpula de líderes do Fórum de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico (Apec, sigla em inglês), em Lima, no Peru. As informações são da agência EFE.

"O empoderamento econômico da mulher, além de ser um imperativo moral é também uma mudança radical", afirmou Lagarde. A dirigente disse, ainda, que os países devem "aproveitar o enorme potencial das mulheres, que podem representar um ponto de inflexão".

"Por exemplo, se os países da América Latina aumentassem a participação do trabalho feminino ao nível médio dos países nórdicos (em torno de 60%), o PIB per capita poderia ser até 10% mais alto", explicou a chefe do FMI.

Na opinião de Lagarde, governos, setor privado e instituições internacionais devem firmar um compromisso com a igualdade de gênero.

Comentários