Política

Dudu diz que PMT quer acabar com eleição direta nas escolas

Projeto propõe o fim das eleições diretas para diretores de escolas do município
Fonte: Assessoria | Editor: Paulo Pincel 18/10/2018 13:37
Vereador Edilberto Borges, o Dudu (PT) Vereador Edilberto Borges, o Dudu (PT)Foto: Assessoria parlamentar

O vereador Dudu (PT), na sessão desta quinta-feira (18) na Câmara Municipal, voltou a denunciar o descanso da Prefeitura de Teresina em continuar propondo que os vereadores votem a favor do Projeto de Lei 163/2018 que altera a Lei n° 4.272, que prevê o fim das eleições diretas para diretores de escolas do município. Segundo o parlamentar, o prefeito Firmino Filho (PSDB) vem tentando calar os meios de comunicação para abafar os reais interesses do projeto.

Para o parlamentar, o projeto visa único e exclusivamente atender os interesses políticos da Prefeitura de Teresina. “O projeto representa um grande retrocesso, onde secretário de educação Kleber Montezuma quer ter a autonomia de indicar tais profissionais. Quando a comunidade elege o diretor, esse tem o direito de indicar o secretário e isso acaba promovendo mais autonomia para gerenciamento das escolas. Essa indicação é um tremendo jogo político do secretário e não podemos admitir isso que seja colocado em prática”, defendeu o vereador Dudu.

Durante a sessão, o vereador solicitou que a Casa possa convocar professores, alunos, sindicatos e a própria Prefeitura de Teresina para que a pauta seja amplamente debatida. “Se a Prefeitura está cheia de boas intenções vamos chamar todos para discutir a pauta. A nossa gestão escolar só tem evoluído porque os profissionais dialogam com a comunidade e, muitos desses, não comungam na cartilha do secretário. Por isso que eles por questão administrativa e perseguição política punem, tiram o profissional e indicam quem eles querem. Esses diretores até para virem debater a pauta nessa Casa são ameaçados. Não podemos homologar o maior retrocesso da comunidade escolar de Teresina. Apelamos e o mais sensato é retirar de pauta, convocar audiência e discutir cada ponto”, afirmou Dudu.

Comentários