Política

Dudu desafia Firmino a andar de ônibus no horário de pico

O vereador Dudu (PT) voltou a criticar o transporte público de Teresina
Fonte: Assessoria parlamentar | Editor: Paulo Pincel 06/03/2018 15:59
Vereador Dudu (PT) Vereador Dudu (PT)Foto: Icone

O vereador Dudu (PT) voltou a criticar o transporte público e o sistema de integração que será implantado na capital durante sessão desta terça-feira (06) na Câmara Municipal de Teresina. O modelo não atende as necessidades da população e ainda gera muitas dúvidas e reclamações.

“O Prefeito está lançando hoje, em um hotel, uma das etapas da tal integração de Teresina. Por que ele não faz isso em um dos terminais do sistema, perto do povo que paga uma passagem cara e tem um péssimo serviço de contrapartida? Sem contar que a Prefeitura ainda tem um débito de R$ 21 milhões com o Setut em subsídio para as passagens, dinheiro público para que o transporte seja melhor para o povo e mesmo assim não é. Integração de maquete, mapas, projeções e longe do povo, para nós é enganação”, afirmou Dudu.

O vereador aproveitou a ocasião para fazer um convite à base do Prefeito na CMT e ao próprio gestor, a exemplo de uma usuária do transporte que convidou Firmino a conhecer o sistema nos horários mais movimentados. “Eu desafio o Prefeito a irmos todos, ao meio dia, pegar um ônibus do Centro para o Promorar, para o Monte Verde, para o Dirceu, para a gente saber qual a realidade da população”.
Síndrome do Pânico
Durante a sessão, também foi apresentado e aprovado em primeira votação o projeto de lei do vereador Dudu que institui campanha municipal de prevenção e conscientização da síndrome do transtorno do pânico, a ser realizada anualmente na segunda semana do mês de setembro.
“Enquanto a sociedade não discutir essas questões, não saberemos como combater essa problemática. Sabemos que essa é uma doença que pode afetar a todos e ao mesmo tempo levar a transtornos psicológico mais graves e muitas vezes por medo, vergonha ou até mesmo falta de conhecimento, as pessoas não buscam tratamento e acabam agravando sua situação psicológica. Nosso objetivo com esse projeto é justamente promover a conscientização sobre o tema e evitar que essa síndrome evolua e dê espaço para outras doenças de cunho psicológico”, defendeu.
O projeto de lei nº 365 foi aprovado com 15 votos favoráveis e segue para a segunda votação no plenário da CMT.

Comentários