Política Nacional

Dudu considera a prisão de Lula um “golpe de toga” para barrar PT nas eleições

Vimos a Suprema Corte do Brasil rasgar a Constituição", disse o vereador
Fonte: Assessoria parlamentar | Editor: Paulo Pincel 11/04/2018 15:53
vereador Dudu vereador DuduFoto: Ascom

O vereador Dudu (PT) voltou a criticar a prisão do ex-presidente Lula durante a sessão desta terça-feira (11) 10. O parlamentar classificou a prisão como um “golpe de toga” e com o objetivo de tirar o Partido dos Trabalhadores das próximas eleições em outubro.

“Vimos a Suprema Corte do Brasil rasgar a Constituição. Não era o mérito que estava sendo julgado, é bom que fique claro se o Lula, ou qualquer outro cometer erros ou crimes, tem que pagar, tem que ser preso. O que não conseguiram foi provar que o apartamento era do Lula, apresentar uma resposta jurídica para um julgamento político. Eles não querem entender o Lula, está claro, eles querem é tirar o Lula das eleições de 2018. Um grande líder como o Lula, que mesmo sabendo que está sendo preso injustamente, como foi preso em 81 pelo DOP´s, atendendo e respeitando as instituições desse país, embora desonestas, o Lula se entregou, mesmo contra a vontade do povo, porque o povo está revoltado. O que a gente ver é o golpe da toga, o golpe do judiciário, e não vai parar por aí. Eles querem um plano B e toda a armação é em vistas às eleições de 2018. Podem esquecer, como disse Lula: eles podam as rosas, mas não vão impedir a chegada da Primavera”, afirmou Dudu.

O vereador também afirmou que o ex-presidente segue como principal nome do PT para as próximas eleições e criticou o nome de outros juristas, que já aparecem como pré-candidato ao pleito. “Joaquim Barbosa, baluarte da moral, o mesmo que foi se refugiar em Miami após a sua aposentadoria no STF, agora se filia ao PSB para disputar as eleições, o que só mostra que o judiciário brasileiro não está preocupado com o povo, mas só em prestígio e poder. O povo não vai aceitar isso”, pontuou o vereador.

Audiência Pública

Dudu também participou da audiência pública, realizada na Câmara Municipal de Teresina (CMT), para discutir a desburocratização da abertura de empresas na capital. Segundo pesquisa apresentada, o tempo médio para se abrir um empresa em Teresina é de 116 dias.

“Para você ter uma micro empresa em Teresina, suas idas e vindas em órgãos públicos desestimulam qualquer um. O que a gente quer com essa audiência? Propor aqui normas para onde você possa ter na pessoa do empreendedor a fé de ofício dele abrir sua empresa o quanto antes e a Prefeitura ir cobrando passo-a-passo, de acordo com a movimentação da empresas, que são as maiores geradoras de emprego no nosso país e são essas empresas que encontram os maiores entraves para começarem a funcionar. O que nós queremos é uma sistematização, reunindo as três esferas, governo federal, estadual e municipal, para darmos celeridade a quem quiser gerar emprego em nossa cidade”, defendeu Dudu.

Além do vereador Dudu e do vereador proponente da audiência, Venâncio Cardos (PP), participaram da audiência os vereadores Graça Amorim (PMB), Gustavo Gaioso (PTC); João Pádua, superintendente da SDU/Leste; Aluísio Sampaio, secretário de desenvolvimento econômico; Vigilância Sanitária Municipal; Evandro Hidd, superintendente da SDU/ Sudeste; Rodrigo Cavalcante do Conselho Regional de Administração; representantes da Abrasel e membros do Conselho Regional de Contadores, Jamile Almeida, secretária executiva de planejamento urbano.

Comentários