Esportes

"Diretores do Barcelona foram muito falsos comigo", afirma Daniel Alves

diretores do clube espanhol foram "muito falsos e mal-agradecidos" com ele.
Fonte: UOL | Editor: Redação 20/02/2017 10:07
Daniel Alves Daniel AlvesFoto: VICE Sports

O brasileiro Daniel Alves, jogador da Juventus e que atuou pelo Barcelona durante oito temporadas, afirmou que os diretores do clube espanhol foram "muito falsos e mal-agradecidos" com ele.

Em entrevista publicada pelo jornal "ABC" na qual o lateral repassa sua trajetória futebolística, Alves comentou sua saída do Barcelona.

"Eu gosto de sentir que as pessoas querem contar comigo, e se não me querem, eu vou embora. Deixar o Barcelona de graça foi como um 'tapa na cara' com classe. Durante minhas três últimas temporadas, sempre escutava que Alves ia embora, mas os diretores nunca me diziam isso na cara. Foram muito falsos e mal-agradecidos. Não tiveram respeito", disse.

Alves comentou que ofereceram a renovação de seu contrato quando a Fifa puniu o Barça, que ficou sem poder contratar jogadores.

"Então é quando eu entrei no jogo e fiz uma renovação com cláusula livre. Os que hoje dirigem o Barcelona não têm nem ideia de como tratar seus jogadores", comentou contundentemente.

O lateral também falou do futebol em geral e advertiu que é um mundo "muito hipócrita", por isso se sente decepcionado. "A fama é uma merda. Eu, quando pequeno, praticava minha assinatura porque sonhava em ser famoso, ser importante e dar autógrafos. Mas essa era a mentalidade própria da inocência de uma criança. Realmente, não tinha nem ideia do que significava. Agora que sou famoso, me dei conta de que as pessoas famosas são mal vistas. O futebol traz inveja, hipocrisia e falsas amizades", disse.

Alves desmentiu que os episódios de racismo vividos em sua carreira esportiva tenham a ver com seu negativismo. "Não me afeta de alguém me chama de negro. Não me sinto diferente. As coisas só te afetam se deixa que seja assim. Eu não odeio nada. Por isso não gosto do vitimismo que existe hoje na sociedade", insistiu.

O jogador também foi muito crítico com o jornalismo esportivo que é praticado em Madri e Barcelona. "Fazem jornalismo de bar. Jornalismo de redes sociais. Só interessa a fofoca, e isso não é contar a verdade. Eles têm que respeitar. Por trás do jogador, há um ser humano (...). Toda minha briga com Cristiano foi por culpa dessa imprensa", comentou.

Alves disse que "respeita muito" Cristiano Ronaldo. "Todo mundo que me fala de Cristiano diz que é um profissional gigante. Depois, CR7 é diferente, era meu rival e tinha que competir com ele. Quando disse sobre ele que ao ser protagonista demais, quando ganha se destaca mas quando perde te culpam, disse de um modo muito respeitoso. E penso o mesmo de Messi e Neymar", indicou.

Mas o brasileiro comenta que essa reflexão "foi vendida de outro modo pela imprensa". "Por isso não me cumprimentou na festa da Bola de Ouro de 2015. Eu não necessito falar de ninguém para sair nos jornais. Não tenho nenhum ego", assegurou Alves.

Perguntado sobre se o futebol espanhol vive mais tranquilo sem Guardiola e Mourinho, Alves disse que "o Real Madrid de Mourinho não sabia perder" porque "jogava sujo". EFE

Comentários

Matérias Relacionadas