Cidade

Dique do Rio Parnaíba ameaça se romper e inundar Teresina

Prefeitura admitiu o risco; pelo menos três bairros estão ameaçados
Fonte: PMT/MPPI | Editor: Paulo Pincel 15/12/2017 07:27
Rio Parnaíba Rio ParnaíbaFoto: Reprodução

É real o risco do rompimento do dique do Rio Parnaíba, na altura do bairro São Joaquim, na zona Norte de Teresina, por conta do grande número de construções irregulares de imóveis, a maioria residências, ao longo da Avenida Boa Esperança. O alerta é da própria Prefeitura Municipal de Teresina, que encomendou um laudo técnico por recomendação do Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI). O estudo feito por três especialistas confirmou que há risco de rompimento por desestabilização da estrutura.

O dique protege cerca de 100 mil moradores dos bairros Matadouro, São Joaquim e Olarias. O reforço e a ampliação dos diques estão previstos na segunda etapa do Programa Lagoas do Norte para proteger a capital de alagamento durante as enchentes, como as que ocorreram em 1985, 2008 e 2009.

Com base nos estudos, a Prefeitura de Teresina, em diálogo com a comunidade da região, vai buscar alternativas para que seja feito o reforço do dique.

"Nesse momento nós não podemos dizer quais e quantas famílias devem ser retiradas. A informação do possível risco de rompimento nós tínhamos há bastante tempo. O documento passou por uma série de revisões até mesmo a pedido do Ministério Público, e na semana passada nós recebemos esse documento consolidado. É um documento robusto, todas as hipóteses foram estudadas e ele afirma a existência de risco sim, e uma possível desestabilização da estrutura do dique", alertou o engenheiro Leonardo Madeira.

O Ministério Público Estadual tem 90 dias para analisar o relatório e fazer as recomendações à Prefeitura, que vai fazer a remoção das famílias para outras áreas. "O maior desastre ambiental do Brasil foi o rompimento da Samarco [em Minas Gerais]. O maior desastre ambiental do Piauí foi Algodões. Nós não queremos ter o maior desastre ambiental de Teresina”, advertiu.

Comentários