Saúde

Diabetes entre mulheres teresinenses aumentou 66%

No Nordeste, 19,8% da população pode ter diabetes e não saber, segundo a mesma pesquisa do Conselho, feita no final do ano passado
Fonte: AI Comunicação | Editor: Da Redação 29/04/2019 16:33
Médico Rodrigo Andrade Médico Rodrigo AndradeFoto: Ai Comunicação

Um em cada cinco brasileiros pode ser diabético e não saber. A pesquisa feita pelo Conselho Federal de Farmácia mostrou que o maior problema está no fato de que muitas pessoas possuem uma série de hábitos que contribuem para que isso aconteça e ainda desconhecem os riscos da doença. Pelo menos 68% dos entrevistados da pesquisa admitiram que são sedentários e outros 43% afirmaram não comer frutas e verduras diariamente.

No Nordeste, 19,8% da população pode ter diabetes e não saber, segundo a mesma pesquisa do Conselho, feita no final do ano passado. Já no Piauí, o registro alarmante é do próprio Ministério da Saúde. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por inquérito Telefônico (Vigitel) mostrou que o percentual de mulheres de Teresina com diagnóstico médico de diabetes aumentou 66,6% entre 2016 e 2017.

Segundo o médico, Rodrigo Andrade do Hapvida Saúde, a doença quando tratada não oferece riscos, mas se a pessoa não sabe que possui a doença os riscos aumentam. O fato da diabetes ser uma doença silenciosa preocupa ainda mais os especialistas. "O incentivo para uma alimentação saudável e balanceada e a prática de atividades físicas é uma prioridade quando falamos deste problema", afirma o médico. A prática de hábitos alimentares saudáveis e atividade física pode ser uma importante aliada na prevenção da doença.

As complicações causadas pela diabetes vão desde cegueira, doença arterial periférica, que reduz o fluxo de sangue para os pés. Pessoas com diabetes têm 40% mais chance de desenvolver glaucoma, que é a pressão elevada nos olhos, catarata e várias outras doenças.

Comentários