Especiais

Dia do Economista: profissionais devem sugerir e aplicar práticas que reduzam a desigualdade social

Fonte: Cintia Lucas 13/08/2017 11:01
Teresinha Ferreira Teresinha FerreiraFoto: Reprodução/Facebook

Neste domingo, 13 de agosto, é comemorado o Dia do Economista. O Conselho Regional de Economia no Piauí (CORECON/PI), através de sua atual presidente, Teresinha Ferreira, fala sobre o papel dos economistas na atual situação econômica em que vive o país, como sujeitos que podem sugerir e aplicar práticas que reduzam as desigualdades sociais, fortaleçam o desenvolvimento econômico e construam indicadores que favoreçam a qualidade de vida da população.

O Conselho desenvolve dois tipos de ações: a primeira é fiscalizar o exercício da profissão, protegendo a sociedade contra maus profissionais. E por outro lado, tem o papel de qualificar os seus registrados, ou seja, os economistas. Ele faz isso através da fiscalização. Por exemplo, só é economista quem é registado no conselho, quem não é registrado, não é economista, é bacharel em economia.

“Outro papel é prestar serviço para a sociedade. Por exemplo, levar campanhas de educação financeira. Mostrar a importância do controle financeiro de cada família. Ajudar a promover o bem-estar econômico e social da população como um todo. Então, por um lado, protegemos o mercado de maus profissionais e prestamos serviços para a sociedade. E também buscamos qualificar os economistas para que eles prestem bons serviços para a sociedade”, afirma Teresinha Ferreira.

O Corecon/PI é uma corporação e, como tal, realiza encontros para refletir sobre a profissão em si. Os profissionais comemoram nesta data a integração da categoria, que é uma das funções do conselho e sua importância em relação à sociedade.

Sobre a crise hoje, a presidente diz que o papel do economista é questionar. “Hoje nós percebemos duas políticas, duas linhas de pensamento. Uma é a neoliberal, que é totalmente diferente do bem-estar social. Por exemplo, é a que está sendo implantada hoje em nível nacional, a que o governo implanta hoje. A neoliberal busca um estado mínimo. A que busca o bem-estar social tem um olhar para os agentes econômicos e a população é mais privilegiada. E o economista, pelo fato de ser um profissional plural, dependendo de qual sua linha teórica, tem condição de entender a realidade hoje. Então, seu papel é de levar esta informação à sociedade onde está inserido”, disse Teresinha Ferreira.

Comentários