Polícia

Detentos tentam fugir da Irmão Guido e dupla é presa jogando celulares na Casa de Custódia

Desde a semana passada, quatro tentativas de fuga foram abortadas no sistema prisional do Piauí
Fonte: Com informações da Sejus | Editor: Alinny Maria 12/09/2017 13:29
Dupla flagrada arremessando celulares na Casa de Custódia Dupla flagrada arremessando celulares na Casa de CustódiaFoto: Divulgação

Na manhã desta terça-feira (12), policiais militares e agentes penitenciários prenderam duas pessoas que tentavam arremessar objetos ilícitos para um dos pavilhões da Casa de Custódia de Teresina e abortaram uma tentativa de fuga na cela 18 do pavilhão D da Penitenciária Regional Irmão Guido.

Antônio Luis Borges de Oliveira Filho e Orlando Rodrigues Sousa Filho, foram flagrados por volta das 9h ao jogarem aparelhos celulares, baterias e pilhas para dentro da Casa de Custódia. A dupla estava na rua lateral da unidade prisional e durante a ação, uma motocicleta modelo Honda CG, de cor preta, com a placa NIN 9338, de Teresina, também foi apreendida.

Já na Penitenciária Irmão Guido, as diretorias de Inteligência e Proteção Externa (Dipe) e da Unidade de Administração Penitenciária (DUAP) receberam informações de que os presos estavam cavando um túnel no local e comunicou à gerência do presídio, que, imediatamente, confirmado e evitou a tentativa de fuga.

“Recebemos a informação da Dipe e da DUAP e, prontamente, acionamos os agentes penitenciários de plantão, que, após identificarem e coibirem a tentativa de fuga, iniciaram a vistoria na unidade. Graças ao trabalho conjunto, conseguimos evitar uma fuga e seguimos garantindo a ordem no presídio”, disse o gerente da Irmão Guido, Josiel Lima.

Desde a semana passada, quatro tentativas de fuga foram abortadas no sistema prisional do Piauí – uma na Casa de Custódia, uma na Penitenciária Regional de Esperantina e duas na Guido.

“Nos antecipamos e conseguimos evitar, novamente, esse tipo de distúrbio. Estamos trabalhando forte para coibir esse tipo de acontecimento, reforçando a segurança tanto na parte interna como externa dos presídios, agindo, portanto, preventiva e repressivamente”, explica o tenente coronel Luís Antônio Pitombeira, diretor da Dipe.

Comentários