Brasil

Desastre da Vale: Exames detectam excesso de metais no organismo de bombeiros

Monitoramento é feito com análise de sangue e urina; profissionais foram retirados de contato com a lama.
Fonte: G1 | Editor: Redação 20/02/2019 12:01
Tragédia em Brumadinho Tragédia em BrumadinhoFoto: REUTERS/Washington Alves

Exames realizados em bombeiros que trabalham nas buscas por corpos de desaparecidos em Brumadinho, detectaram a presença de metais em níveis acima do recomendado por amostra, de acordo com nota do governo do estado de Minas Gerais.

Até o momento três exames detectaram a alteração na quantidade de alumínio no sangue. Um quarto exame apontou a presença de cobre. O governo garante que a alteração não significa uma intoxicação aguda pelos dois tipos de metais e os bombeiros não apresentam nenhum sintoma adverso.

Ainda segundo a assessoria do executivo estadual, os profissionais não foram afastados dos trabalhos, apenas não estão mais em contato direto com a lama. Espera-se que com a interrupção da exposição, os níveis no sangue sejam normalizados.

O monitoramento de metais também tem sido feito no leito do rio Paraopeba e também em amostra da lama de rejeitos. A ação faz parte de um conjunto de medidas para resguardar a saúde da população e dos envolvidos nas buscas. A barragem da mina Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro. De acordo com o último boletim da Defesa Civil, 169 mortes foram confirmadas. Outras 141 pessoas estão desaparecidas.

Comentários

Matérias Relacionadas