Polícia

Delegados do interior denunciam falta de viaturas e usam carros particulares

Os casos em Matias Olímpio e Joaquim Pires refletem a situação de diversos municípios do Piauí
Fonte: Roberto Araujo 06/07/2017 14:26
Delegados entregam cargos Delegados entregam cargosFoto: Roberto Araujo

O protesto que aconteceu nesta quinta-feira (06) em frente ao Palácio de Karnak evidenciou muitas precariedades que sofrem as delegacias do Piauí. Os delegados argumentam que além de diárias que não são pagas, falta estrutura básica para o bom funcionamento dos órgãos.

Delegado titular das comarcas de Matias Olímpio e Joaquim Pires, Renato Pinheiro, relata que em duas cidades, não existe nenhuma viatura. “Eu estou sem viatura nas duas comarcas, a gente tem que usar os carros particulares para poder cumprir as diligências, dificuldade estrutural no prédio também, e as diárias de acumulação não estão sendo pagas, aí os servidores tem que acabar gastando recursos próprios para poder se deslocar até lá, gastar com alimentação”, argumenta.

Para o delegado, a delegacia sofre com a precariedade há algum tempo, mas já se chegou no limite: “Tudo isso vem de um tempo, já. Não é uma situação de agora, recente, dessa gestão. Isso já vem de um tempo para cá, mas chega uma situação que não dá, não dá mais. Chegou ao caos mesmo”, desabafa.

Delegado das comarcas de Matias Olímpio e Joaquim Pires, Renato Pinheiro "O estado vem deixando de cumprir com suas obrigações de estar nos dando condições mínimas pra gente poder exercer um trabalho eficiente”, desabafa Renato Pinheiro

Delegado titular do 7º Distrito Policial de Teresina, Marcelo Dias, ressalta que a principal carência na delegacia é de pessoal. Ele conta que a delegacia abrange uma grande área, mas que a estrutura que dispõe não consegue dar conta.

“Falta principalmente contingente humano. A delegacia em que eu trabalho especificamente é uma delegacia grande, de muita demanda, sou um delegado apenas para muitos bairros. Pego desde o Poty Velho até a Ponte metálica, uma área enorme, e um delegado só não tem condição, e uma equipe de investigação apenas. Poucos policiais, poucas viaturas, e além do equipamento que falta, computador, mesa...”, relata Marcelo Dias.

Delegado titular do 7º Distrito Policial de Teresina, Marcelo Dias Delegado do 7º Distrito Policial de Teresina, Marcelo Dias

As delegacias de atendimento especializados também sofrem com a falta de estrutura. A Delegada da Delegacia do Idoso, Daniela Barros, conta que um dos problemas que enfrenta é a falta de viaturas. “Você tem viaturas insuficientes para atender a demanda que você tem diariamente, então alguém, vai ficar sem atendimento, ou então alguém vai ter o seu atendimento retardado”

A delegada reitera que existem situações que o atendimento deve ser imediato, principalmente em casos de violência contra o idoso. “No caso de maus tratos à pessoa idosa, o atendimento não pode ficar para amanhã, para depois de amanhã. Ele tem que ser feito de imediato, tem que ser feito agora. Porque o idoso que está ali naquela situação de maus tratos ele precisa ser acolhido pelo estado de forma imediata. Ele não pode esperar uma viatura que está no conserto ficar pronta”, argumenta.

Delegada do Idoso, Daniela Barros Delegada titular da Delegacia do Idoso, Daniela Barros

Comentários

Matérias Relacionadas