Mundo

Crimes de Guerra: Ex-general toma veneno após ouvir sua sentença

Ao ter sua pena de 20 anos de prisão confirmada hoje, ex-comandante das forças armadas na Bósnia bebeu o que afirmou ser veneno
Fonte: ANSA | Editor: Redação 29/11/2017 12:38
Slobodan Paljak Slobodan PaljakFoto: Jornal Luzilandia

Juízes do Tribunal Penal Internacional (TPI), que tem sede em Haia, suspenderam um julgamento nesta quarta-feira (29) após um dos condenados em uma ação sobre crimes de guerra na antiga Iugoslávia, Slobodan Paljak, ter bebido o que afirmou ser veneno. O advogado confirmou a informação e os juízes chamaram uma ambulância para atendê-lo. O ex-comandante foi condenado pelo assassinato e pela perseguição aos muçulmanos durante o conflito.

O ex-comandante das forças armadas na Bósnia, durante a guerra de 1992 e 1995, teve sua pena de 20 anos de prisão confirmada hoje. Ao ouvir o veredito, ele se levantou e gritou "não sou um criminoso de guerra" e bebeu o que afirmou ser veneno.

Além de Paljak, outros cinco dirigentes do país durante a guerra estavam na sessão sendo acusados de crimes de guerra, crimes contra a humanidade, violação de leis internacionais e violação da Convenção de Genebra. No dia 22, o último general sérvio que precisava ser julgado pelos crimes naquele período, Ratko Mladic, foi condenado pelo TPI à prisão perpétua.

Comentários