Saúde

Criança escuta pela primeira vez após receber implante

A menina foi diagnosticada com surdez ainda cedo, por meio do teste da orelhinha
Fonte: Douglas Ribeiro | Editor: Alinny Maria 03/10/2017 11:40
Maria Zilda Maria ZildaFoto: Divulgação

A pequena Maria Zilda da Sousa Neta escutou pela primeira vez com um ano e oito meses. A menina foi diagnosticada com surdez ainda cedo, por meio do teste da orelhinha, exame que consiste na colocação de um fone acoplado a um computador na orelha do bebê, que emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que a orelha interna do bebê produz. Com um ano e meio, Maria Zilda foi submetida à cirurgia de implante coclear.

A emoção tomou conta de toda a família, que pôde acompanhar as primeiras descobertas da filha. Essa conquista colaborou para a estimulação do cérebro da pequena e, aos poucos, Maria Zilda começou a falar.

“Quando ouvi ela me chamar de ‘mamãe’ pela primeira vez, fiquei muito emocionada, porque nós descobrimos, antes do primeiro mês, após o nascimento, que a perda auditiva dela era de 90%. Nesse momento, a gente pensa: ‘por que isso aconteceu com minha bebezinha?’. Então, de repente, tudo mudou e eu consegui ver a evolução dela. É inexplicável a sensação de saber que minha filha vai ter uma vida normal. ”, conta emocionada a mãe Maria José Bezerra Silva.

Maria Zilda

O otorrinolaringologista Flávio Santos explica que o implante produz um estímulo elétrico às fibras remanescentes do nervo auditivo e é implantado através de cirurgia na região retroauricular (atrás da orelha), onde é feito uma incisão no couro cabeludo de aproximadamente 3 a 4 cm.

“O implante coclear é a melhor opção para pessoas com perda auditiva profunda e nós ficamos muito felizes em contribuir para a medicina do nosso Estado. Nós realizamos a primeira cirurgia desse serviço em dezembro de 2011 e, desde então, 120 pacientes já receberam o implante. Então, nós temos uma grande alegria em poder oferecer às pessoas que nasceram ou adquiriram algum problema de surdez, uma chance de recuperação auditiva e de socialização de sua audição”, comentou o médico Flávio Santos.

Novos aprendizados

O aparelho é ativado 30 dias após a cirurgia de implantação e o paciente sente o primeiro estímulo auditivo. A terapia fonoaudiológica associada ao uso constante do implante coclear pode trazer um resultado favorável ao tratamento.

“Depois do implante coclear é feita a reabilitação da audição, porque o sistema auditivo precisa ser estimulado. E essa etapa é muito importante, pois é quando a criança vai aprender os novos sons, visto que tudo é novo para ela. O paciente precisa saber, por exemplo, o seu nome, o som da batida de porta, entre outros. A partir de então, ele irá aprender aos poucos a reconhecer os sons à sua volta e saber como responder a eles”, pontua a fonoaudióloga Fabiane Leandro.

Os pacientes são acompanhados por até um ano após a cirurgia, período onde os profissionais vão estimulando a comunicação, além de ajustar o equipamento implantando para atender as necessidades específicas de cada paciente. Em relação ao equipamento são necessários alguns cuidados, assim como portadores de marca-passo e h

Comentários