Polícia

Confronto entre gangues faz Batalhão de Campo Maior pedir reforço ao RONE

Fonte: Com informações de Em Foco | Editor: Da Redação 07/07/2017 15:00
Comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto Comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos AugustoFoto: Alinny Maria

Confrontos entre gangues dos bairros Cariri e Matadouro no município de Campo Maior fez com que o comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar, major Etevaldo Silva, pedisse reforço da Ronda Ostensiva de Natureza Especiais (RONE) para auxiliar no patrulhamento da área. A rixa tem preocupado os moradores da cidade e já resultou em um assassinato, trocas de tiros e uma vítima de bala perdida.

Para o Em Foco , o major Etevaldo disse que já foi enviado um oficio para o comando da Polícia Militar solicitando o auxílio da RONE pelo menos nos finais de semana para que os envolvidos sejam identificados e presos. O comandante ressalta que houve a redução de três viaturas do Batalhão após acidentes durante perseguições.

Na quinta-feira (29) um homem envolvido com tráfico de drogas na região dos bairros em confronto morreu durante disputa entre os dois grupos criminosos. O homem foi identificado como Marcílio Freire de Sousa.

Já nessa na noite dessa quarta-feira (6) o jovem Antônio Bruno Viana de Oliveira, 18 anos, foi baleado durante uma troca de tiros no bairro Cariri, em Campo Maior. O adolescente estava na porta de casa quando foi atingido por um disparo na perna. Os tiros foram efetuados por dois homens em uma moto. Segundo a Polícia Militar, o rapaz não tem envolvimento com o crime.


“Essa rixa entre Cariri e Matarouro é muito antiga. Sempre houve esses acontecimentos. Vez por outra isso se exacerba. E é isso que está acontecendo agora. A disputa entre eles se agravou e envolve a disputa pelo tráfico”, comenta major Etevaldo ao Em Foco .

Após a morte de Marcilio as rondas se intensificaram nos dois bairros. As Polícias Civil e Militar trabalham em conjunto para identificar os envolvidos.

Comentários