Educação

Com corte de R$ 33 milhões, reitor diz que UFPI pode deixar de funcionar até o final do ano

O Ministério da Educação do Governo Bolsonaro bloqueou 30% das verbas destinadas à UFPI
Fonte: Redação Piauí Hoje | Editor: Alinny Maria 07/05/2019 10:19
UFPI UFPIFoto: Alinny Maria

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) enfrentará sérias consequências com os cortes em investimentos no ensino superior anunciado pelo Governo Bolsonaro e até pode deixar de funcionar segundo o reitor Arimatéia Dantas. Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (7) no Salão Nobre da reitoria da instituição, o reitor informou que com o bloqueio de 30% das verbas do Governo Federal, a universidade deixa de receber mais de R$ 33 milhões.

Segundo a assessoria de comunicação da UFPI, o bloqueio de 30% no orçamento de custeio anunciado pelo Ministério da Educação (MEC), impacta diretamente no funcionamento da universidade, comprometendo gravemente sua capacidade de cumprir com as atividades administrativas e acadêmicas.

Com o corte de mais de R$ 33 milhões, R$ 1,5 milhão atinge os programas de Ensino, Pesquisa e Extensão, R$2,8 milhões atingem o funcionamento de três escolas vinculadas e R$ 28,7 milhões para o funcionamento direto do ensino superior no Estado.

Arimatéia Dantas disse ainda que está tentando fazer cortes em materiais, serviços de limpezas, cortes em bolsas cientificas e até terceirizados. "Se não houver reversão do bloqueio, não conseguiremos chegar até o final do ano, a universidade encontrará dificuldades para fechar o ano em funcionamento", ressalta o reitor.

Comentários