Política

CMT acionará MPF para investigar denuncias de médicos de Teresina

Câmara Municipal de Teresina recebeu os representantes do Sindicato dos Médicos para uma reunião com intuito de resolver impasses que causaram paralisação
Fonte: Ascom | Editor: Da Redação 07/06/2018 17:12
Reunião na Câmara Reunião na CâmaraFoto: Ascom

A Câmara de Teresina realizou na manhã desta quinta-feira (07/06), uma reunião entre vereadores e representantes do Sindicato dos Médicos de Teresina. Na reunião, proposta pelo vereador Dudu (PT), ficou definido que a Câmara, através de sua mesa diretora, tomará medidas judiciais para fiscalização das unidades de saúde de Teresina.

Além da reunião, Dudu ainda solicitou uma Audiência Pública na Casa com a presença dos médicos e da Prefeitura, através da Fundação Municipal de Saúde, para promover um diálogo entre as partes. No entanto, a solicitação foi negada em votação através de recomendação da base do prefeito Firmino Filho na Câmara.

“Está acontecendo um impasse entre os profissionais de saúde da capital e a Prefeitura, onde eles reclamam da falta diálogo com os gestores. Fiz o requerimento de audiência pública, ela foi aceita e assinada pelos vereadores, mas depois a liderança do Prefeito nesta Casa os enquadrou e eles acabaram votando contra a própria assinatura no Plenário, rejeitando a audiência. Isso foi revoltante”, comenta Dudu consternado com a ação dos vereadores da base do Prefeito.

“Como vereadores, temos o papel constitucional de representar o povo, de fiscalizar e promover debates que possam somar e resolver impasses. Não me calo diante disso e vou continuar tomando medidas para que esta situação seja regularizada”, completo o vereador.

Mesmo com o requerimento de Audiência Pública negado, Dudu propôs uma reunião com os representantes da categoria de médicos para ouvir, intermediar e desenvolver ganchos capazes de resolverem os problemas que a saúde está sofrendo.

Na reunião, os representantes pautaram denúncias e reivindicações como, por exemplo, a falta de medicamentos, superlotação de unidades, ausência de concurso público para fidelizar os servidores e condições básicas de trabalho.

“A Câmara de Teresina não pode continuar omissa em relação à postura e a má gestão do secretário Sílvio Mendes à frente da Fundação Municipal de Saúde. Não podemos cruzar os braços diante disso. A parte mais sensível da cidade é a saúde pública e ela está cada vez mais preocupante. Faltam medicamentos, faltam condições básicas de trabalho, e a Prefeitura se nega a dialogar, sem dar uma resposta para o povo”, disse Dudu.

A mesa diretora da CMT irá tomar medidas judicias contra a gestão, acionando o Ministério Público Federal para uma fiscalização mais intensa a fim de conferir as condições de trabalhos dos servidores e outras questões apresentadas pelos profissionais. Além disso, o vereador Dudu também propôs uma medida criminal contra o gestor Sílvio Mendes por se negar a dialogar com os servidores, fazendo da sua gestão um regime ditatorial na FMS.

Comentários