Política

Ciro viabiliza em Brasília a retomada das obras da Transnordestina

Senador participou de reunião no Ministério da Integração Nacional
Fonte: Assessoria parlamentar | Editor: Paulo Pincel 08/08/2018 11:35
Reunião no Ministério da Integração Nacional, Reunião no Ministério da Integração Nacional,Foto: Assessoria

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) esteve, na manhã de terça-feira (7), no Ministério da Integração Nacional, onde participou de reunião com representantes técnicos de diversos órgãos com o objetivo de viabilizar a retomada das obras da ferrovia Transnordestina. “Na semana passada, conversei com o presidente Temer sobre a liberação de recursos para o prosseguimento das obras dessa importante ferrovia. Pedi então ao ministro Pádua Andrade, essa reunião para discutirmos a melhor maneira para podermos dar continuidade às obras”, explicou Ciro.

Na reunião, representantes da Transnordestina, da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste do Banco do Nordeste e do ministério debateram e traçaram planos acerca da melhor forma de agilizar os trâmites burocráticos e de planejamento para o retorno das obras na ferrovia.

Além do ministro da Integração, Pádua Andrade, participaram do encontro Antonio Ribeiro, diretor de planejamento da Sudene, Cilene Dórea, secretária de Fundos Regionais e Fiscais do ministério, Rafael Feitosa, chefe de gabinete do Superintendente da Sudene; Helton Mendes Chagas, superintendente de Negócios de Atacado e Governo do Banco do Nordeste e Jorge Luiz Mello, presidente da Transnordestina Logística S.A.

Transnordestina

A obra ferroviária da Transnordestina abrange mais de 1.700 km e vai ligar o município de Eliseu Martins, no Piauí, aos portos de Pecém, na região metropolitana de Fortaleza, e de Suape, em Pernambuco. Estima-se que apenas 600 km da ferrovia estejam concluídos. Ciro destacou a importância que a entrega da ferrovia terá na abertura de empresas e na criação de empregos na região. Segundo ele, é um empreendimento que pode transformar a infraestrutura logística do Nordeste.

Comentários