Brasil

Cidades sedes vão \'\'\'\'brigar\'\'\'\' por jogos de abertura e final

Piauí Hoje
Fonte: Uol Esporte 01/06/2009 00:00 - Atualizado em 15/10/2016 14:04
Depois do fim das disputas em torno do nome das 12 cidades que ganhariam o status de sede da Copa do Mundo de 2014, outra briga, esta muito mais restrita, ganha força nos bastidores: a definição das cidades que ficarão com os jogos de abertura e final do torneio, além de outros papéis de importantes dentro da complexa estrutura do Mundial.O presidente da Confederação Brasileira do Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Teixeira, confirmou que esta decisão sairá apenas em 2010, após o Mundial da África do Sul. Este fato, no entanto, pode gerar diversas especulações, atitude criticada e chamada pelo dirigente brasileiro de "achismos"."É igual quando se troca o técnico da seleção brasileira. Uns 20 jornais publicam um nome diferente e, no final, um acaba acertando", exemplificou Teixeira, classificando de "achismo" a possibilidade, inclusive, de o Rio de Janeiro sediar a final da Copa de 2014.Mesmo com as palavras do dirigente, dificilmente a capital fluminense e o Maracanã deixarão de receber a final. Com isso, o foco da disputa se vira para a partida inaugural, pleiteada por São Paulo, Belo Horizonte e Brasília.Desde o anúncio de que o Brasil receberia a Copa do Mundo, os paulistas e o Morumbi surgiram como nomes naturais para a abertura, até pela importância política e econômica da cidade no cenário nacional. Ao longo do tempo, no entanto, Belo Horizonte intensificou os trabalhos nos bastidores, principalmente por meio do governador Aécio Neves, e já desponta com chances reais de desbancar os paulistas. Por outro lado, a cidade de Brasília, grande "zebra" nesta disputa, aposta no retrospecto da Copa do Mundo, em que apenas duas edições (1974 e 1994) não tiveram a abertura ou a final realizadas na capital do país, além de um projeto de modernização do Mané Garrincha orçado em R$ 600 milhões.Em outro estágio, o centro internacional de imprensa e a base da Fifa também estão sendo disputados. Até por ser a base da CBF e do Comitê Organizador, o Rio de Janeiro sai na frente, mas São Paulo, Belo Horizonte e Brasília também estão de olho.Outros eventos menores relacionados ao Mundial de 2014, como o sorteio dos grupos, seminários técnicos e workshops, devem ser entregues a Belém, Campo Grande, Florianópolis, Goiânia e Rio Branco, cidades que foram reprovadas no processo seletivo à sede da Copa do Mundo. Piadas e gafes O evento era para anunciar as 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e, de quebra, contou com transmissão ao vivo de Nassau, nas Bahamas, para todo o Brasil pela TV. Apesar da ótima oportunidade para Ricardo Teixeira, presidente da CBF e do comitê organizador do Mundial, ganhar destaque no seu país, quem acabou roubando a cena foi o mandatário da Fifa, Joseph Blatter.Blatter esbanjou simpatia, contou piadas e não perdeu humor nem com gafe cometida Contrastando com o rotineiro mau-humor do dirigente brasileiro, Blatter esbanjou simpatia, contou piadas, e não perdeu a compostura nem quando, durante uma resposta sobre o Nordeste, colocou Belém na região. Teixeira, sentado ao lado do suíço, o corrigiu, mas nada que o abalasse o suíço.Logo no seu primeiro testemunho, Blatter começou a falar em inglês, flertou com o "portunhol" e terminou a frase em francês. Mais tarde, foi advertido por Nicolas Maingot, chefe de mídia da Fifa. O presidente da entidade máxima do futebol, no entanto, justificou que os jornalistas presentes podiam acompanhar a tradução quase simultânea usando os fones disponibilizados, mas preferiu seguir o conselho e falar apenas na língua inglesa.Com farta distribuição de sorrisos, o suíço ainda transformou uma homenagem ao presidente de Honra da Fifa, João Havelange, presente ao evento, em mais uma oportunidade para brincar. Antes de começar a revelar os nomes das sedes, disse que iria fazer algo "só para deixar mais tenso", pedindo uma salva de palmas ao ex-mandatário brasileiro.Blatter ainda encontrou uma oportunidade para "cornetar" Teixeira. Enquanto falava da possibilidade das cidades que não foram escolhidas para sediar partidas da Copa, o suíço aproveitou para mandar um recado ao colega brasileiro. "Não se esqueça de organizar a sua seleção. É muito importante ter uma boa equipe".

Comentários