Polícia

Capitão é denunciado e vai a juri popular por feminicídio

Promotor Benigno Filho denunciou Allisson Wattson por homicídio qualificado
Fonte: MPE-PI | Editor: Paulo Pincel 06/12/2017 14:15
Camila Abreu Camila AbreuFoto: Arquivo pessoal

O promotor de Justiça, João Mendes Benigno Filho, representante do Ministério Público do Estado do Piauí, apresentou denúncia nessa terça-feira (5) contra o capitão da Polícia Militar, Allisson Wattson da Silva Nascimento, 37 anos, assassino confesso da estudante de Direito Camilla Pereira de Abreu, morta com um tiro de pistola .40 no rosto, na madrugada do dia 26 de outubro passado, em Teresina..

A denúncia foi baseada no inquérito policial, finalizado na quinta-feira passada (30/11), que concluiu a materialidade do feminicídio, praticado por motivo torpe, sem chance de defesa da vítima."A denúncia se prende à materialidade e a autoria. Ele usou a própria arma da corporação para tirar a vida de uma jovem [Camilla] que o único erro que cometeu foi se dedicar a ele, dedicar seu amor a ele. A resposta que ele [Alisson Wattson] deu ao amor e a dedicação foi tirar a vida dela".

Segundo a promotoria, o capitão, de forma voluntária e com animus necandi (intenção de matar), ceifou a vida de sua namorada, Camilla Pereira de Abreu, no interior do veículo Corolla de placa NIF 8022, cor azul de que tinha posse o acusado. "A autoria restou evidenciada nas informações prestadas por amigos e familiares que atestam o intenso ciúme do acusado contra a vítima, além da confissão do denunciado no interrogatório perante autoridade policial na Delegacia de Homicídios”.

Ainda segundo a denúncia do promotor Benigno Filho, Allisson Wattson foi denunciado pela prática do crime de feminicídio qualificado, por motivo fútil [intenso ciúme da vitima] e recurso que impossibilitou a defesa da ofendida, ocultação de cadáver e fraude processual.

Não tem como sair dessa trilha de homicídio duplamente qualificado e vai ao Tribunal do Júri. Quem vai julgar é a sociedade, o Conselho de Sentença, que vai aplicar a pena. O MP espera que no final do processo saia a condenação. Temos a certeza que ele será condenado", adiantou o promotor

Comentários