Saúde

Campanha alerta para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

De acordo com a oncologista Gildeni Alves, quanto mais tardio o diagnóstico, piores são as chances de resposta ao tratamento e maiores são as chances de óbito
Fonte: Icone Comunicação | Editor: Da Redação 26/09/2017 10:16
Campanha contra o câncer Campanha contra o câncerFoto: Icone

Durante o mês de setembro, a campanha Setembro Dourado realiza atividades para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. A campanha é uma iniciativa da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC) e é coordenada localmente pela Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC-PI).

A coordenadora do Setembro Dourado, Tânia Cardoso, explica que em Teresina estão sendo realizadas diversas ações para conscientizar a população sobre a importância da identificação dos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil. “Este mês nós estamos realizando palestras nas escolas para pais e professores, panfletagem embaixo da Ponte Estaiada que já está iluminada em alusão à campanha, dentre outras atividades”, explica.

Ainda como parte da programação da Campanha, a RFCC-PI promove, no próximo sábado (30), o Dia D “Jogos pela Vida”. A partir das 17h, serão realizadas distribuição de folders explicativos e práticas esportivas no Parque Potycabana.

O câncer é responsável por aproximadamente 12% dos óbitos de pessoas na faixa etária de 1 a 14 anos, e 8% de 1 a 19 anos no Brasil, representando a principal causa de morte por doença de crianças e adolescentes no país. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima para o ano de 2017, a ocorrência de 12.600 novos casos de câncer na faixa etária de zero a 19 anos. O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura.

Sinais e sintomas

Os tipos mais comuns de câncer que acometem crianças e adolescestes são a leucemia aguda (30%), tumores do Sistema Nervoso Central (19,8%) e Linfomas (12,3%). De acordo com a oncologista Gildeni Alves, quanto mais tardio o diagnóstico, piores são as chances de resposta ao tratamento e maiores são as chances de óbito. “A comunidade médica precisa estar atenta ao diagnóstico precoce, pois os sintomas normalmente se confundem com doenças comuns da infância. Crianças que apresentam palidez associada às manchas roxas na pele e febre sem explicação, esse diagnóstico tem que ser suspeitado”, aponta.

Também são sintomas as dores e inchaços nas articulações, pernas e abdome, dor de cabeça, vômitos, tosse, falta de ar, aumento do volume da barriga, ínguas no pescoço, axilas e região inguinal.

Não existe ainda um único fator responsável pelo câncer infantojuvenil, no entanto, as condições gestacionais da mãe, o fator genético e a exposição a determinados fatores ambientais são algumas condições que, de maneira conjunta ou não, podem ser atribuídos à doença.

Comentários

Matérias Relacionadas