Polícia

Corpo de Camila é sepultado em clima de revolta

Não houve velório por causa do estado do corpo da estudante
Fonte: Paulo Pincel 01/11/2017 10:59
Seu Carlito Abreu chora sobre o caixão da neta, que morava com ele e a avó Seu Carlito Abreu chora sobre o caixão da neta, que morava com ele e a avóFoto: Reprodução/WhatsApp

O clima era de emoção e revolta entre os familiares, amigos - além de curiosos, imprensa e autoridades - no enterro na estudante universitária Camila Pereira de Abreu, de 21 anos, assassinada sem chance de defesa com um tiro no rosto, segundo a Polícia Civil, pelo namorado, o capitão da Polícia Militar do Piauí, Allisson Wattson da Silva Nascimento, de 37 anos.

O avô de Camila, Carlito Abreu resumiu numa frase a dor da família: "é revoltante.Oh! Minha filha é muito difícil! Oh! Senhor tenha piedade da gente! É sofrimento demais senhor! Oh! Senhor que essa dor passe".

O corpo de Camila foi sepultado imediatamente após aliberação pelo Instituto de Medicina Legal, onde foi examinado pelos legistas desde que foi localizado com a ajuda do próprio acusado do crime, no começo da tarde de ontem (31), na localidade Mucuim, na região de Todos os Santos, zona rural Sudeste de Teresina.

Como estava em avançado estado de decomposição, o cadáver exalava forte odor, o que impediu a realização do velório pela família. Apenas um terço foi rezado pelos presente, do lado de fora da capela do Cemitério São Judas Tadeu, no bairro São Cristóvão, na zona Leste de Teresina

Comentários