Cultura

Caju Pinga Fogo se apresenta nesta quarta (13) no Boca da Noite

A banda preparou um repertório especial com músicas de grandes bandas e compositores.
Fonte: Governo do Piauí | Editor: Redação 12/06/2018 14:42
Banda de pífanos Caju Pinga Fogo Banda de pífanos Caju Pinga FogoFoto: Divulgação

A banda de pífanos Caju Pinga Fogo é a atração desta quarta-feira (13) no projeto Boca da Noite de Teresina. O show da banda, que mescla ritmos que valorizam a cultura nordestina, será a partir das 19h, no Espaço Osório Jr/Club dos Diários.

Criada a partir do encontro de seis amigos universitários, a banda começou as apresentações em coletivos e movimentos culturais da cidade. Posteriormente, participou de um projeto com apresentações em Floriano e Teresina, homenageando a cantora piauiense Maria da Inglaterra.

Percebendo que a banda preenchia um espaço até então pouco explorado, os integrantes se profissionalizaram para levar o projeto à frente. Nas apresentações, os ritmos são bem caraterísticos da cultura popular nordestina, como baião, xote, reisado, maracatu, ciranda, trazidos na versatilidade do pífano. Além disso, mistura elementos teatrais e de dança, com um repertório de músicas autorais e de cantores como Alceu Valença e Luiz Gonzaga.

“A nossa banda é muito importante. As bandas de pífano estão na essência da música, da cultura nordestina. Antes do forró, do maracatu e outros ritmos, o pífano já era bem característico do nordeste e a gente mantêm esse trabalho justamente para valorizar a cultura nordestina, enaltecer e difundir isso”, enfatiza o músico Javé Montuchô.

Para o show do projeto Boca da Noite, a banda preparou um repertório especial com músicas de grandes bandas e compositores piauienses de várias gerações.

O Projeto Boca da Noite é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). Este ano, além de Teresina, as cidades de Parnaíba, Piripiri, União, Floriano, Oeiras, Picos, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Corrente também foram contempladas com o projeto.

Comentários