Política Nacional

Brasil pode voltar ao Mapa da Fome, alerta senadora

A fome voltou a assombrar as famílias brasileiras neste dois anos de governo Temer
Fonte: Assessoria parlamentar | Editor: Paulo Pincel 03/11/2017 23:30
Senadora Regina Sousa (PT-PI) Senadora Regina Sousa (PT-PI)Foto: Paulo Pincel

Os cortes indiscriminados no Orçamento Geral da União estão empurrando o Brasil de volta para o mapa da fome. Em pronunciamento ao plenário nesta semana, a senadora Regina Sousa (PT-PI) lembrou que, de acordo com informações da mídia, nos dois anos do governo Temer, a renda de milhões de brasileiros ficou abaixo da linha da pobreza. “A fome volta a assombrar as famílias brasileiras”, disse.

A senadora mostrou que mais de dois milhões de pessoas estão recebendo vencimentos inferiores ao salário mínimo. “Muitos brasileiros estão aceitando trabalhar para ganhar qualquer coisa para não ficarem desempregados”, lamentou.

Enquanto a crise torna-se mais cruel, os cortes em programas de assistência ameaçam fustigar ainda mais quem já tem muito pouco. O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) – componente importante no combate à fome – sofreu corte de 73%. O PAA garante a compra do pequeno produtor rural para distribuição em creches, escolas, hospitais e presídios, por exemplo.

“Mas o mais sério é o corte no próprio programa Bolsa Família. Há 13 milhões de famílias hoje no Bolsa Família. No Orçamento do ano que vem só cabem 10 milhões. Isso significa que vão ter de tirar 3 milhões de famílias no ano que vem, daqui para 2018”, alertou a senadora.

Regina Sousa observou que “tudo o que diz respeito ao cidadão pobre tem corte”. Segundo ela, isso significa que a população mais pobre “vai ser candidata à cesta básica num ano propício, que é o ano eleitoral. Então, ela vai receber cesta básica com um santinho do candidato dentro, e a gente já viveu essa história. Porque não vai ter comida para as pessoas, está aqui dito no Orçamento: 3 milhões de pessoas vão ter que sair do Bolsa Família – e o Bolsa Família já não é suficiente”, protestou.

“O Brasil saiu do mapa em 2014, e é um modelo de combate à fome elogiado no mundo inteiro, reconhecido no mundo inteiro, e está correndo o risco de voltar a compor o mapa da fome no mundo”, lamentou a parlamentar piauiense, lembrando que era justamente o Brasil que estava ajudando os países mais pobres,a combater a fome, “a resolver seus problemas de alimentação para poder haver um mundo melhor para todos”.

Fórum Mundial
Regina Sousa esteve em Montevidéu na última semana para participar do VIII Fórum da Frente Parlamentar Contra a Fome na América Latina e Caribe. Os 19 países que participaram do fórum se comprometeram a delimitar os cem territórios mais vulneráveis e, então, tentar, zerar a fome em cada um.

“Ficou o desafio para os países-membros delimitarem os seus territórios e empreenderem ações que possam zerar a fome. A gente está chamando de fome zero mesmo o nome do programa, cem territórios fome zero”, explicou.

Comentários