Polícia

Assaltantes de carros-fortes foram libertados pela Justiça

Greco prendeu 100 bandidos em 2017, muitos estão livres por decisão judicial
Fonte: DPI/Greco | Editor: Paulo Pincel 20/02/2018 09:59
Carros-fortes destruídos por assaltantes no Piauí Carros-fortes destruídos por assaltantes no PiauíFoto: Montagem/Paulo Pincel

Os assaltantes dos dois carros-fortes explodidos ontem e ações quase que simultâneas nas rodovias BR-343, entre Altos e Campo Maior, e BR-316, próximo à Estaca Zero, estava fortemente armados, com metralhadoras e fuzis de uso exclusivo das Forças Armadas e dinamite. Num dos assaltos – ao carro-forte da Prosegur, vindo de Piripiri para Teresina - o bando formado por mais de dez homens levou R$ 1,2 milhão.

Equipes do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) estão em campo para tentar prender os integrantes da quadrilha. Há suspeita de que os assalntantes sejam os mesmos presos pelo Greco no ano passado e liberados por decisão da Justiça. A polícia também investiga se houve informação privilegiada, a chamada "parada dada", de dentro das empresas de transportes de valores e vigilância armada.

Os mesmos

O delegado Emir Maia, gerente do policiamento do interior, afirmou em entrevista na manhã desta terça-feira (20), que o Piauí ainda não é Rio de Janeiro ou São Paulo, onde atuam quadrilhas de várias facções, como PCC e CV. “Esses malfeitores que agem no nosso estado são os mesmos”, isto é, a polícia sabe quem são os assaltantes de banco e carro-forte, já prenderam a maioria inclusive, mas esses bandidos estão nas ruas por força de decisão judicial, “pelas brechas na lei”.

“O Greco prendeu. ano passado, mais de cem criminosos. Boa parte deles encontra-se em liberdade. E aí esses eventos voltam a acontecer. O indício é de que se trata das mesmas pessoas”, lamentou Emir Maias.

Feridos

Dos quatro vigilantes que estavam no carro-forte da Prosegur, dois foram feridos. Um foi atingido no tórax e na cabeça e está em estado grave. O outro foi baleado na perna e não corre risco de morte. Dois dos três seguranças que estavam no carro ca Cet-Seg também foram feridos. Um foi baleado no braço e outro sofreu cortes e escoriações provocada pelos estilhaços dos vidros das janelas do carro-forte atigidos pelos tiros.

A Polícia Civil já sabe que eram pelos menos quatro assaltantes na explosão do carro-forte na BR-343, próximo a Campo Maior, e dez bandidos no assalto ocorrido na BR-316, na Estaca Zero.

Comentários