Entretenimento

Angelina Jolie recusa R$ 327 milhões em acordo de divórcio com Brad Pitt

Atores anunciaram o fim do casamento em setembro de 2016
Fonte: Purepeople | Editor: Redação 30/11/2017 14:09
Famosos FamososFoto: Reprodução

Angelina Jolie rejeitou o acordo de divórcio de R$ 327 milhões oferecido por Brad Pitt. Eles anunciaram o fim do casamento em 2016, mas, segundo o site norte-americano "Hollywood Life", a atriz estaria reconsiderando o término do relacionamento e arrependida da separação. Irritado com indecisão da ex, o galã não está disposto a retomar a relação com a artista. "O Brad está extremamente frustrado com a Angelina, ela continua a postergar a assinatura do acordo", contou uma fonte.

PUBLICIDADE

ATOR PLANEJA FÉRIAS COM FILHOS

Pai de Shiloh, Maddox, Vivienne, Zahara, Pax e Knox, Brad planeja passar férias com os seis filhos quando tudo estiver resolvido. "O acordo pré-nupcial deles já estabelecia os termos que a Angelina não está aceitando, então o Brad está oferecendo cada vez mais dinheiro, mas ela recusa todas, inclusive a mais recente, de US$ 100 milhões. Isso tudo tem sido um pesadelo para o Brad. Ele sente muita falta das crianças e pretende levar todas elas para férias fora dos Estados Unidos assim que tudo estiver resolvido", concluiu o informante. Em recente entrevista, Pitt admitiu que o vício em bebidas e drogas foi o grande motivo para o fim do casamento com Jolie: "Não me recordo de um dia em que tenha saído da escola e não tenha ficado bêbado ou usado cigarro de maconha. Era como eu fugia dos meus sentimentos. Eu parei com tudo isso quando comecei minha família, exceto com a bebida. No último ano eu bebi demais. Isso se tornou um problema."

ATRIZ RELEMBRA SEPARAÇÃO: 'MOMENTO MAIS DIFÍCIL'

Em outra ocasião, Angelina comentou sobre a dificuldade de tomar esta decisão. "Foi o momento mais difícil, e estamos no momento de voltar a respirar. Estamos todos tentando fazer o nosso melhor para curar a nossa família. As coisas ficaram ruins. Eu não queria usar essa palavra... As coisas se tornaram 'difíceis'. As crianças foram muito corajosas. Nós cuidamos uns dos outros e nos preocupamos com nossa família, e ambos trabalhos pelo mesmo objetivo. Não quero que meus filhos fiquem preocupados comigo. Acho importante chorar no chuveiro e não na frente deles", afirmou.

(Por Patrícia Dias)

Comentários