Educação

Alepi aprova projeto de lei que viabiliza o HGV como hospital ensino da Uespi

Alunos de Medicina, Enfermagem, Psicologia e Fisioterapia da Uespi terão prioridade em atividades práticas no hospital.
Fonte: CCOM | Editor: Redação 12/07/2017 13:08
HGV HGVFoto: Ascom/HGV

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) aprovou, nessa terça-feira (11), o projeto de lei nº 15/2017, que viabiliza o Hospital Getúlio Vagas como Hospital de Ensino da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). Desde fevereiro de 2016, o reitor da Uespi, Nouga Cardoso, já tratava com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) para discutir e avaliar a proposta.

Por meio da lei, os alunos de Medicina, Enfermagem, Psicologia e Fisioterapia da Uespi terão prioridade em atividades práticas a serem desenvolvidas no Hospital Getúlio Vargas, em relação aos estudantes de outras instituições. Além disso, haverá uma diretoria para tratar dos interesses acadêmicos do hospital, que será indicada pela Uespi.

Nouga enfatiza que a lei em vigor atende uma exigência do Ministério da Educação e que se estende a todos os municípios em que a Uespi oferta cursos da área da saúde. “É importante dizer que a aprovação dessa lei não se aplica apenas em Teresina e ao Hospital Getúlio Vargas e sim à toda a rede de hospitais públicos do Estado do Piauí, como o hospital de Parnaíba, Floriano e Picos, onde temos cursos de saúde. E isso vem para atender uma demanda da própria comunidade acadêmica da universidade, em consonância com o que exige o MEC para o reconhecimento dos cursos na área da saúde”, pontua o reitor, que acrescenta: “a gente agradece ao governador do Estado por reconhecer e atender essa demanda da Uespi e à Assembleia Legislativa, também, pelo bom debate e pela boa discussão que houve e, principalmente, pela aprovação dessa lei”, acrescenta Cardoso.

Segundo o professor Jesus Abreu, diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS), a Uespi é, atualmente, a única universidade que utiliza o Hospital Getúlio Vargas. Ele explica que, por meio dessa lei, a Uespi terá preferência e comandará a parte acadêmica do hospital. “Caso alguma outra universidade ocupe algum espaço no HGV, será sobre a concordância da Uespi, que sempre terá que defender seus interesses de maneira mais efetiva e mais forte”, diz o docente.

Jesus ainda afirma que a comunidade acadêmica está feliz com a aprovação da lei e que ela contempla um antigo anseio do CCS. “Acredito que é um passo importante nessa meta de excelência que temos para os cursos da área de saúde da Uespi. O Getúlio Vargas se torna o hospital referência oficial da Universidade Estadual do Piauí e contempla um anseio antigo de toda a comunidade acadêmica, em especial do Centro de Ciências da Saúde”, ressalta Abreu.

Comentários

Matérias Relacionadas