Cidade

Águas de Teresina completa um ano de gestão na capital

Subconcessionária fará a apresentação do Plano Diretor de Água e Esgoto
Fonte: Assessproa | Editor: Paulo Pincel 09/07/2018 15:37
A Águas de Teresina está completando um ano de gestão na capital A Águas de Teresina está completando um ano de gestão na capitalFoto: Assessoria


A Águas de Teresina completa um ano à frente da gestão dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto na capital piauiense. Para marcar essa data, a subconcessionária fará a apresentação do Plano Diretor de Água (PDA) e Plano Diretor de Esgoto (PDE), documentos que estabelecem diretrizes para projetos, obras e investimentos de forma a garantir a prestação desses serviços aos teresinenses.

A apresentação técnica dos planos será feita durante seminário que será realizado no dia 17 de julho, no Metropolitan Hotel. Ao elaborar os planos diretores, a Águas de Teresina reafirma o seu compromisso para o planejamento de médio e longo prazo de todo o sistema de distribuição de água e esgotamento sanitário, além da busca pela melhoria da eficiência para atendimento da população que vive na zona urbana da capital.

Para sua elaboração, foi feito um levantamento minucioso de todas as informações referentes ao sistema de água e esgoto na capital, sendo os dois planos, documentos específicos e que consolidam os indicativos que irão guiar a empresa nas metas estabelecidas em contrato para a ampliação dos serviços de água e esgotamento sanitário.

“A entrega desses dois planos é, para nós, mais uma importante etapa na relação de transparência e confiança que estamos construindo com a cidade. O Plano Diretor de Água e o Plano Diretor de Esgoto, são instrumentos importantíssimos de um planejamento para dar soluções às demandas identificadas durante os estudos”, diz Italo Joffily, diretor-presidente da Águas de Teresina.

“Recentemente, apresentamos à cidade o Programa Água Legal, reforçando as vantagens de estar em conformidade em termos de prestações dos serviços e consumo consciente. São ações coordenadas e que dialogam com o mesmo propósito: a prestação de um serviço de qualidade e sustentável”, completa o diretor-presidente.

O PDA e PDE tiveram consultoria técnica da Serenco, empresa com larga expertise no desenvolvimento de estudos e projetos nas áreas de saneamento, hidráulica e meio ambiente que resultam na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

O evento de apresentação dos planos contará com a presença do engenheiro civil Marcos Moisés Weigert, coordenador da equipe técnica responsável pela elaboração dos planos diretores; Wagner Carvalho (Gerente de Projetos Sênior da Aegea) e Pedro Alem Sobrinho, profissional com larga experiência na área sanitária e responsável pela consultoria para o Plano Diretor de Esgoto (PDE). Pedro Alem é doutor em engenharia hidráulica e sanitária pela USP e tem mestrado em saúde pública e em engenharia de saúde pública pela Universidade de Newcastle Upon Tyne.

Importante destacar também a consultoria de Sidney Seckler, responsável por oferecer subsídios para que a empresa contrate os projetos e obras para ampliação e requalificação do sistema de abastecimento de água. Sidney é doutor em Engenharia Hidráulica e Sanitária pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e tem trabalhos reconhecidos nas áreas de tratamento convencional e avançado de águas de abastecimento; tratamento de águas residuárias; processos fisico-químicos de tratamento e qualidade da água.

A Águas de Teresina assumiu a responsabilidade pelo abastecimento de água e esgotamento sanitário no dia 7 de julho de 2017. A capital do Piauí foi a segunda cidade do Nordeste a contar com os serviços prestados pela Aegea Saneamento, que venceu a licitação para a subconcessão dos serviços no município em fevereiro do ano passado. Ao longo do contrato, com duração de 30 anos, a Águas de Teresina vai investir R$ 1,7 bilhão, sendo R$ 650 milhões já nos primeiros cinco anos.

Abastecimento de água
Nos primeiros meses de operação, a Águas de Teresina antecipou suas metas para executar, de forma prioritária, o plano emergencial com foco em bairros com histórico crítico de abastecimento de água. A ampliação e modernização dos serviços já beneficiaram cerca de 360 mil teresinenses. Inicialmente, o plano contemplava 14 áreas crônicas de desabastecimento, sendo posteriormente ampliado para 31 áreas.

As melhorias até então realizadas na capital do Piauí já propiciaram uma mudança na rotina de famílias que antes sofriam com o abastecimento irregular de água tratada. Na zona Norte de Teresina, a empresa requalificou a Estação de Tratamento de Água Codipi (ETA), o que permite a estação sair de uma produção de 430 mil litros de água por hora para 900 mil litros/hora. Além disso, nessa mesma região, a empresa colocou em operação pela primeira vez o booster do Jacinta Andrade, ampliando a capacidade de bombeamento e distribuição da água tratada.

Na zona Sudeste, cerca de 200 mil pessoas foram atendidas e tiveram o abastecimento de água ampliado após a instalação do booster do Dirceu Arcoverde, aumentando em 600 mil litros por hora a disponibilidade de água para a região. Antes, a capacidade era de 1.100.000 litros por hora.

Em março de 2018, a empresa entregou uma nova adutora na zona Sul com extensão de 3,2 km (três quilômetros e duzentos metros), que faz a ligação da Estação de Tratamento de Água (ETA III), localizada no Distrito Industrial, ao centro de preservação do Parque Piau. O incremento na distribuição foi de 540.000 (quinhentos e quarenta mil) litros de água por hora.

As adequações nas Estações de Tratamento de Água (ETAs), investimento em equipamentos e tecnologia, permitiram um incremento na produção em cerca de 21 milhões de litros por dia em toda a cidade.

Controle de perdas
A partir da regularização fundiária de algumas áreas de ocupações, a empresa tem investido na implantação da rede regular de abastecimento de água. Estima-se que ligações irregulares consumam até cinco vezes mais água do que uma ligação regular, padronizada. Com investimento de R$ 3,7 milhões, a Águas de Teresina iniciou a implantação da rede regular de abastecimento de água nas comunidades Parque Vitória e Residencial Dilma Rousseff. Mais do que água tradada, os moradores passarão a ter também mais qualidade de vida e mais dignidade. São 4,8 mil famílias beneficiadas.

Mensalmente, a empresa promove 4.500 consertos de vazamentos, uma medida que visa reduzir de forma significativa o índice de perda de água tratada na capital, uma das prioridades da concessionária. Além disso, a Águas de Teresina também atua preventivamente, a partir do uso do geofone – aparelho que consegue identificar os vazamentos não visíveis, fazendo o reparo antes mesmo que estes aflorem no asfalto. A meta é de que, até o décimo ano de concessão, o índice de perdas reduza para 25%.

Esgotamento sanitário
Como parte do planejamento de modernização e ampliação da rede de esgoto, a Águas de Teresina realizou readequações nas Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) e Estações Elevatórias de Esgotos (EEEs), com reativação de geradores, instalação de equipamentos reserva, além da urbanização em algumas dessas unidades, garantindo assim a segurança operacional.

A concessionária substituiu o coletor tronco de esgoto na zona Leste da capital, com aproximadamente 600 metros de extensão, responsável por receber esgoto e o conduzir à Estação Elevatória de Esgoto - EEE Riverside. Localizada na Avenida Raul Lopes, a EEE Riverside, por exemplo, foi totalmente revitalizada. Além de toda readequação elétrica dos painéis de comando, foi substituída a laje piso, melhorias necessárias e que garantiram segurança para quem diariamente usa o calçadão para fazer caminhadas.

A meta contratual prevê a ampliação da rede de esgoto de forma gradativa, chegando a 90% até o final do 16º ano. Até o terceiro ano, o índice de atendimento sairá de 19,12% para 40%. Em até 5 anos, serão 472 mil pessoas beneficiadas e uma capacidade de tratamento superior a 800 litros por segundo.

Relacionamento e atendimento
Na medida que a população percebeu a capacidade de resposta e abertura dos canais de comunicação com a população, a empresa saiu de uma média de 300 atendimentos por dia e hoje esse número já é de 2.100 atendimentos diários. Os números incluem as demandas que chegam via call center, lojas de atendimento, Whatsapp e redes sociais.

Por meio de um de seus programas socioambientais, o Programa Afluentes, a Águas de Teresina também estabeleceu um contato direto e personalizado com as lideranças comunitárias, realizando reuniões periódicas dos representantes de bairros com a direção e gerentes da Águas de Teresina. Além disso, com o ‘Fala Liderança’, os líderes comunitários têm atendimento prioritário para as demandas referentes aos bairros que representam.

Comentários