Economia

Adapi tem até o dia 30 para enviar relatório sobre febre aftosa

Piauí Hoje
Fonte: MN 27/12/2008 00:00 - Atualizado em 09/10/2016 23:01
A Agência de Defesa Agropecuária (Adapi) tem até o dia 30 de dezembro para enviar o relatório com os dados alcançados com a vacinação contra a febre aftosa no Piauí. A informação foi dada pelo diretor geral da Adapi, José Antônio Filho, ressaltando que está bastante otimista em alcançar a meta de 85% de vacinação dos rebanhos.Para José Antônio Filho, o otimismo se deve à quantidade de vacinas que foram vendidas."Os criadores tiveram até o dia 30 de novembro para vacinar os rebanhos e até o dia 15 para fazer a certificação. Agora, temos até o dia 30 para analisar os dados e fazer o relatório. Mas levando em consideração o número de vacinas que foram vendidas, acredito que iremos ultrapassar os 81% atingidos na campanha passada", explica.Equipes do Ministério da Agricultura estiveram no início do mês no Piauí fazendo uma análise do sistema de defesa agropecuário do Estado. Durante a análise foram avaliados vários quesitos que vão desde a capacidade técnica do Piauí até a estrutura fornecida para os criadores.Essa avaliação é necessária para que a Agência de Defesa Agropecuária do Estado possa analisar os erros e acertos do sistema de defesa do estado e, assim, melhorar o que for necessário.José Antônio ressalta que na campanha passada o Piauí atingiu 81% de vacinação, com um total de 1,343 milhão de rebanhos vacinados."A nossa meta é ultrapassar esse número, fazendo com que o Estado saia da condição de risco desconhecido para de risco médio, podendo assim comercializar seus rebanhos com outros estados", destaca. Os criadores que não vacinarem e certificarem seus rebanhos pagarão multas que podem chegar a R$ 5 mil, dependendo da quantidade de rebanho.Com o Piauí saindo da situação de risco desconhecido, o agronegócio do Estado tem grandes chances de se desenvolver. Para o diretor geral da Adapi, o agronegócio é um potencial gerador de emprego e renda para a população."Por isso, há a necessidade dos criadores estejam cada vez mais conscientes da importância de se proteger os rebanhos, realizando a vacinação", finaliza José Antônio.

Comentários

Matérias Relacionadas