Polícia

Acusado de matar jornalista pega 16 anos de prisão

Everardo Ralfa de Sousa foi condenado por homicídio doloso contra Júlio César Galvão
Fonte: TJ-PI | Editor: Paulo Pincel 24/04/2018 08:30
Fotos do jornalista e do veículo destruído na colisão Fotos do jornalista e do veículo destruído na colisãoFoto: Reprodução/TV

O réu Everardo Ralfa de Sousa, acusado de homicídio doloso pela morte do jornalista e servidor do Tribunal de Justiça do Piauí, Júlio César de Macedo Galvão, foi condenado a 16 de reclusão em regime fechado em julgamento que durou 17 horas no Tribunal do Júri. O crime ocorreu em 2006, durante as comemorações da Copa do Mundo,

Everardo dirigia em alta velocidade pela Avenida Henriqye Wall de Carvalho, no bairro Saci, na zona Sul de Teresina, quando bateu violentamente a sua picape Ford F-250 na traseira de VW Gol de Júlio César e fugiu sem prestar socorro ao jornalista. Júlio não resistiu aos ferimentos e morreu três dias depois de internado em hospital de Teresina.

A pena foi anunciada perto das 2h da madrugada desta terça-feira (24). O júri acatou a tese da acusação, reforçada pelo Ministério Público, de que a vítima não teve chance de defesa. A decisão ainda cabe recurso.

Comentários