Polícia

Acusado de matar dono de academia é preso em baile reggae

Leandro Rodrigo de Sousa, 21 anos, é autor de outro homicídio
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alinny Maria 30/07/2018 11:15
Leandro Rodrigues de Sousa Leandro Rodrigues de SousaFoto: Divulgação/DHPP

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu o inquérito que investigou o latrocínio contra o empresário Marcelo Henrique Amorim, morto com um tiro no dia 9 de julho deste ano, em frente à academia Medley, na zona Sul de Teresina. O autor do roubo seguido de morte é Leandro Rodrigues de Sousa, 21 anos, acusado de outro homicídio em 2013, além de vários assaltos em Teresina.

No dia do crime, Leandro e outros três comparsas realizaram vários assaltos na região do Todos os Santos, inclusive num posto de combustível, onde as câmeras de segurança flagraram a ação dos bandidos. Os criminsos asssaltaram uma família antes de queimar o veículo do empresário, na região do Campo dos Afonsinhos, bairro próximo à casa de Leandro Sousa.

Leandro foi preso pela Polícia Militar em uma baile de reggae, na noite de sábado (21), no bairro Satélite, zona Leste da capital. Depois de preso, Leandro foi levado para a Central de Flagrantes, no Centro, acusado de receptação de uma moto roubada. Lá, Leandro tentou se passar pelo irmão, mas foi descoberto. Os policiais do DHPP foram informados da prisão de Leandro e na segunda-feira (23), o suspeito foi levado para a sede do DHPP, onde confensou a autorida do latrocínio contra Marcelo.

"Ele foi preso no último dia 21 de julho, um sábado, ao sair de um baile reggae pilotando uma moto roubada. Só que ele se identificou como sendo o irmão e, na audiência de custódia, na mesma madrugada, ele foi liberado pela receptação da moto, mas a polícia o identificou e viu que se tratava de Leandro e não do irmão dele. Então, Leandro foi detido porque contra ele já havia um mandado de condenação expedido em 2016, pela morte de um senhor de 74 anos [comerciante], crime que aconteceu em 2013", revelou o delegado Robert Bezerra Lavor.

Ficha extensa

Segundo o delegado Robert Lavor, responsável pela investigação, quando ainda era menor de idade, Leandro Sousa já possuía sete atos infracionais, sendo que um era latrocínio - roubo seguido de morte. Atualmente, Leandro responde a três crimes e foi condenado a seis anos de prisão por roubo.

Outro latrocínio

Segundo o delegado, Leandro Rodrigo matou o comerciante Luis Marques do Nascimento, 74 anos, no dia 8 de julho de 2013, com um tiro no abdômen, durante assalto no bairro Cidade Nova, zona Sul de Teresina. Segundo a polícia, o crime foi cometido por três adolescentes - um deles era Leandro - que estavam em um veículo cor prata. Luis Marques foi socorrido, mas morreu aoós dar entrada no Hospital de Urgência de Teresina.

Entrevista coletiva na sede do DHPP
Entrevista coletiva na sede do DHPP [Foto: Paulo Pincel]

Um detalhe que chamou a atenção dos policiais que prenderam Leandro é a tatuagem que ele tem no braço esquerdo: sobre um palhaço [associados a roubo e morte de policiais], o número 121 [no Código Penal, o artigo 121 tipifica o crime de morte, homicídio].

"É um sujeito frio, que não demonstrou nenhuma arrependimento. A família dele chegou a dizer que ele não iria se entregar", revelou o delegado, durante coletiva.

"Essa tatuagem mostra o desprezo que ele tem pelas vítimas", acrescentou o delegado Baretta, dieretor do DHPP, que acompanhou a entrevista aos jornalistas, na sede do DHPP, no bairro São Pedro, zona Sul de Teresina.

Marcelo Henrique na academia
Marcelo Henrique Amorim da Silva foi morto por Leandro Rodrigues de Sousa [Foto: arquivo pessoal]

Comentários