Cultura

Paraense Rodrigo Vianna Rodrigues tomou posse na Cultura

A Cultura do Norte é riquíssima e podemos potencializá-la em diversos níveis
Fonte: MinC | Editor: Redação 28/12/2017 13:11
Rodrigo Vianna Rodrigues Rodrigo Vianna RodriguesFoto: DOL - Diário Online - Portal de Notícias do Pará e do Mundo

O paraense Rodrigo Vianna Rodrigues tomou posse como o novo chefe da Representação Regional Norte do Ministério da Cultura (MinC). Desde então, Rodrigues ingressou no que ele chama de "círculo virtuoso da Cultura": "Tenho me reunido, diariamente com artistas, representantes da cultura local e do empresariado. Estou motivado com as possibilidades e com os desafios que todas essas pessoas me apresentam. A Cultura do Norte é riquíssima e podemos potencializá-la em diversos níveis".

Multifacetado, Rodrigues é arquiteto e urbanista de formação, conta com diversas especializações na área ambiental e ainda realiza incursões como escritor. Já lançou contos literários de ficção, como "O Escaphandrista", "Os Velhos" e "Boiuna", em plataforma digital. A partir de agora, o representante afirma que pretende se dedicar ao estímulo dos artistas locais e à defesa das diversas dimensões da Cultura, que incluem, além de questões identitárias e simbólicas, a relevância econômica. Rodrigues adiantou, ao Portal do MinC, prioridades de sua gestão à frente da regional.

Desafios da gestão

"É um privilégio fazer parte da equipe do Ministério da Cultura. Entre os nossos desafios, existe a necessidade de fomentar as atividades culturais da região. É fundamental desenvolver os editais regionais e retomar a ativação dos Pontos de Cultura. Em 2018, eu quero trabalhar com pelo menos 50 Pontos ativos na Região Norte. Além disso, vamos fortalecer a implementação dos Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs), fundamentais para a integração das comunidades. Há muitos municípios na região sem qualquer equipamento urbano capaz de cumprir esse papel de congraçamento da sociedade, onde é possível estimular o conhecimento por meio do lúdico. No momento em que o governo federal se faz presente e cria um espaço como esse, trabalhamos com a melhoria da sociedade como um todo, do estímulo à saúde ao combate à violência. Também iremos priorizar a parceria com a iniciativa privada e a conscientização de que o patrocínio cultural tem retorno mensurável economicamente para o empresariado. Por meio da Lei Rouanet, as empresas podem agregar a Cultura a uma estratégia de marketing. Todas essas ações automaticamente se revertem em um círculo virtuoso no fortalecimento cultural do nosso povo."

Cultura como ativo econômico

"Entendemos a Cultura em diversas vertentes. A primeira delas, como a identidade de uma Nação. Ela é representativa de tudo o que o povo adquiriu de conhecimento e possui de tradição, das origens até os dias atuais. Ao mesmo tempo, existe a vertente da cultura como ativo econômico. A partir da gestão do atual ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, estamos fortalecendo esse entendimento no País, o da Cultura como fator de desenvolvimento econômico. Precisamos saber utilizar nossa riqueza cultural, com música, dança, literatura, culinária, além da Cultura pop, a nosso favor."

Adesão ao Sistema Nacional de Cultura

"No Pará, mais de 60% dos municípios já aderiram ao Sistema Nacional de Cultura (SNC). Mas a média da nossa região é de 30%. Queremos incrementar essa adesão e, mais do que isso, estimular os gestores a de fato implementarem as ferramentas para uma política municipal de Cultura. Queremos que os municípios criem a Lei Municipal de Cultura, estabeleçam o Conselho Municipal de Cultura, ativem o Fundo Municipal de Cultura e, a partir daí, criem o seu Plano Municipal de Cultura. Muitos dos municípios que já aderiram ao SNC ainda não contam com todas essas ferramentas em funcionamento; e elas são fundamentais. O nosso papel é reforçar aos municípios que essas ferramentas irão auxiliar a gestão em diversas outras áreas, como educação, saúde e segurança. A Cultura é um preventivo contra todos os malefícios e um potencializador dos benefícios da sociedade."

Diversidade Cultural

"As atividades culturais da Região Norte são riquíssimas. Temos, por exemplo, o Carimbó, patrimônio imaterial que movimenta uma série de festividades. Tivemos a honra de ter Dona Onete, cantora, compositora e poetisa, a nossa "diva do carimbó chamegado", agraciada com a Ordem do Mérito Cultural em 2017 pela sua contribuição à Cultura brasileira. Esse é o reconhecimento da importância do trabalho dela, da expressão cultural da qual é representante, para o desenvolvimento do País. Entre grandes eventos, temos a Festa de Parintins, de reconhecimento internacional, e a Festa do Sairé, em Alter do Chão (PA), o Caribe Brasileiro. O Círio de Nazaré, em Belém, já é patrimônio cultural do Brasil e da humanidade e, enquanto expressão cultural e religiosa, reúne cerca de dois milhões de participantes, entre curiosos e devotos pagadores de promessas. Precisamos lembrar que essas pessoas, além de prestigiarem esses eventos, se envolvem em diversas outras atividades que permeiam as atividades principais. No Norte, também se desenvolve rapidamente a Cultura Pop, muito ligada à juventude, a chamada Cultura Geek. Nesse sentido, temos eventos com expressividade muito grande, como feiras que reúnem revistas em quadrinhos e outras publicações e games. Tenho acompanhado essas e outras incríveis manifestações culturais."

Cultura aliada ao Turismo

"A Cultura permeia transversalmente tudo o que se entende como desenvolvimento de uma Nação. O setor do turismo, por exemplo, cresce a taxas maiores do que outros setores da economia. E a Cultura é claramente um elemento potencializador do turismo e, a partir disso, do fortalecimento do setor de serviços, criando centenas de milhares de empregos no País. Ao pensar em um grande evento, precisamos levar em consideração todas as atividades envolvidas, do hoteleiro ao vendedor de lembrancinhas. Trata-se de uma cadeia de empregos formais e informais em torno do Turismo e da Cultura. Para fortalecer essa cadeia, acredito ser importante criar uma rede cultural de eventos interligados, encadeados ao longo de uma linha temporal. Esse é o pulo do gato para trazer mais gente, gerar mais emprego e renda."

Culinária é vantagem estratégica

"Na Região Norte, há a riqueza cultural da nossa culinária, que alia diversas tradições seculares. Temos a farinha de tapioca e o açaí, por exemplo, que já se tornaram um ativo econômico mundial. É um exemplo de como podemos fortalecer a cultura local e, ao mesmo tempo, transformá-la em vantagem estratégica. Como não temos uma grande industrialização, precisamos fortalecer a cultura local e transformá-la em ativo econômico."

Meio ambiente e desenvolvimento cultural

"Precisamos de uma visão um pouco mais holística do desenvolvimento humano. A partir dessa visão, entendemos a importância da Cultura também para a preservação ambiental. A atual gestão do MinC também defende a Cultura como uma das mais fortes ferramentas de desenvolvimento humano que não agride o meio ambiente. Além disso, cresce o número de eventos que fazem mensuração da pegada de carbono, seguida do processo de neutralização – seja por plantios de árvores ou outras medidas. Essas ações com selo do carbono neutro também são fundamentais para o nosso País. Fomentamos a Cultura enquanto ativo ambiental."

Comentários

Matérias Relacionadas