Política Nacional

1964: Historiador classifica fala do Ministro Toffoli como assustadora

O professor Daniel Aarão Reis criticou o argumento do presidente do Supremo Tribunal Federal
Fonte: Notícias ao Minuto | Editor: Redação 03/10/2018 09:33
Ministro Dias Toffoli do STF Ministro Dias Toffoli do STFFoto: Carlos Moura/STF

O historiador Daniel Aarão Reis, professor de História da UFF, disse em entrevista ao jornal “O Globo” que a declaração do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), acerca da ditadura que ocorreu no Brasil é “assustadora”.

“Em tese, não vejo contradição entre o uso da palavra movimento e o uso da palavra golpe. Em 1964, a meu ver, houve um movimento - englobando civis e militares - que resultou num golpe de estado, inclusive com participação de amplos setores da sociedade. O que causou espécie nas declarações do ministro Toffoli foi o fato de que ele tentou substituir a noção de golpe pela de movimento. E chegou à enormidade de tirar do vocabulário a palavra ditadura. Daí o espanto. O pior é que, não satisfeito, atribuiu a mim suas encartadas”, disse.

Reis ainda avaliou que o posicionamento de Toffoli é um risco para a democracia.

“Debates históricos são inevitáveis numa democracia, sobretudo quando se considerados temas polêmicos. O que é assustador é o presidente do STF declarar que não vai usar mais o termo "ditadura", quando o país passou por 15 anos de ditadura (ou 21 anos segundo a maioria), que inclusive cassou três ministros do próprio STF e obrigou outros dois a se aposentarem sob ameaça de cassação. Lembra a triste atitude tomada pelo presidente do STF em 1964, Ribeiro da Costa, que apoiou o golpe sem sequer consultar seus colegas. Depois, arrependeu-se e teve vários choques com a Ditadura. Tarde demais”, acrescentou.

Comentários

Matérias Relacionadas