PMT adota ideia de petista e vai reduzir limite de velocidade em ruas e avenidas de Teresina

Ponte Avenida Frei Serafim Ponte Avenida Frei SerafimFoto: Divulgação

A partir desta quarta-feira (26), a Superintendência de Transportes e Trânsito da Prefeitura de Teresina - STRANS, vai iniciar alteração no limite de velocidade em ruas e avenidas da cidade para evitar e diminuir o número de acidentes de trânsito.

A experiência da STRANS vai começar na Avenida Lindolfo Monteiro, importante via do Bairro de Fátima, na Zona Leste de Teresina. A velocidade máxima permitida será de 50 km por hora.

A informação foi repassada ao Piauí Hoje pelo secretário de Comunicação da PMT, Fernando Said. Segundo ele, a STRANS fará um trabalho de educação no trânsito nas ruas e avenidas onde a medida será implementada.

Ao reduzir o limite de velocidade para reduzir acidentes na cidade, os tucanos que comandam a Prefeitura de Teresina seguem uma ideia adotada em São Paulo pelo petista e ex-prefeito daquela cidade, Fernando Haddad, e copiada por gestores de várias cidades no mundo.

Os tucanos teresinenses também vão na contramão do também tucano e agora prefeito de SP, João Dória, que logo ao assumir o cargo desfez tudo o que Haddad fez. Ele aumentou o limite de velocidade nas ruas e avenidas onde esse limite havia sido reduzido e o número de acidentes voltou a subir na capital paulista.

Comentários

BRANDADAS

Luiz Brandão

Luiz Brandão é jornalista e bacharel em Comunicação Social, formado pela Universidade Federal do Piauí. Está na profissão há mais de 36 anos e trabalhou em rádio, TV e jornal. Foi foi repórter da Rádio Difusora, Rádio Poty, da TV Timon, da TV Antares e da TV Meio Norte e também dos O Dia, Jornal da Manhã, O Estado, Diário do Povo. Foi editor chefe dos jornais Correio do Piauí, O Estado e Diário do Povo. Atualmente é diretor de jornalismo do portal Piauí Hoje.com

Sobre o Blog

O blog traz comentários e pensamentos do autor sobre notícias de várias áreas e setores, como maior dedicação aos acontecimentos políticos e sociais do Piauí, do Brasil e do Mundo.

Apoio: