O sabor da vida depende de quem a tempera

Spirantelli SpirantelliFoto: Goretti Mendes
Elvio Arruda Elvio Arruda Foto: internet

Festejar o aniversário é festejar a vida, festejar a nossa história.

A vida de cada um é lapidada pelas pessoas que fazem parte desta história, sejam os familiares, os amigos, os colegas de profissão ou as pessoas que simplesmente, de alguma maneira, entram brevemente nos cenários das nossas vidas.

Mesa de festa Mesa de festa Foto: Internet

É o milagre da vida, é a celebração de mais um ano vivido que faz disso uma magia, uma oportunidade de se reinventar, de refletir, de agradecer pelo o passado e se projetar coisas boas para o futuro.

Geralmente as pessoas são sensibilizadas com a data e procuram realizar os desejos dos aniversariantes por um dia. É uma delícia aproveitar as mordomias, o carinho, e as energias positivas emanadas das pessoas que nos querem bem. É comum o aniversariante ter o seu dia de reinado e de se dar o desfrute de pequenos ou grandes sonhos.

Nem sempre os aniversários foram assim. O costume de festejar o dia do nascimento vem desde o ano 3.000 A. C. no Egito Antigo. Tem origem pagã. Acreditava-se que na data do aniversário os anjos malignos vinham para causar mal e roubar o espírito dos aniversariantes. As festas de aniversário eram destinadas a proteger as pessoas do mal e isso era feito através das oferendas ou presentes e também através dos votos felicidades de amigos.

Banquete no Egito Antigo Banquete no Egito Antigo Foto: Internet

A igreja católica condenou durante muito tempo esse tipo de festa pela ligação às superstições. Com uma conotação diferente, a partir Século V a Igreja passou celebrar o nascimento de Jesus. Foi instituindo o Natal.

Hoje as festas de aniversário não tem mais o sentido místico. Comemora-se mais um ano de vida.

Sem distinção de raça, de cor, de poder aquisitivo ou de posição social, milhares de pessoas comemoram diariamente, de diversas maneiras, no mundo inteiro, o fato de estarem vivos. Em comum com o passado apenas os votos e energias dirigidas aos aniversariantes.

Com o surgimento dos Buffets ficou mais fácil realizar as grandes festas. Estas casas oferecem todas as comodidades para que o homenageado se sinta também um convidado. É uma maravilha para quem não quer ter preocupações na hora de receber.

Há quem goste de festas intimistas, para poucas pessoas, na qual se consiga dar a atenção individualizada para os convidados. Nestas, os anfitriões que apreciam a arte de cozinhar podem também se dar ao luxo de preparar algumas das iguarias para curtir o prazer de ver seus amigos felizes pelas delícias e carinhos recebidos.

Festas intimistas Festas intimistas Foto: Internet

Duas ótimas receitas para receber as pessoas queridas sem medo de errar. Agradam aos mais exigentes paladares.

A primeira é uma entrada feita com queijo Brie e massa folhada e a segunda é uma massa que se chama Spirantelli, uma experiência diferente e deliciosa.

Entrada de Queijo Brie Entrada de Queijo Brie Foto: Goretti Mendes

ENTRADA DE QUEIJO BRIE

Ingredientes:

1 queijo Brie

Massa folhada

1 cebola cortada em rodelas bem finas

Vinagre

1 colher das de chá de açúcar ou à gosto.

Manteiga

1 gema (para pincelar a massa)

Modo de Preparar:

Refogar a cebola na manteiga, quando dourar regar com um pouco de vinagre (para tirar a acidez), colocar o açúcar e deixar caramelizar. Deixar esfriar e colocar em cima do queijo Brie.

Abrir a massa folhada e envolver o queijo com a cebola em cima. Pincelar com a gema e se quiser, enfeitar com uma flor feita de tomate. Colocar para assar em forno pré-aquecido por mais ou menos 30 minutos ou até ficar dourado. Servir ainda quente.

Spirantelli Spirantelli Foto: Goretti Mendes

SPIRANTELLI

Ingredientes:

600g de presunto (defumado), em fatias finas

600g de queijo Mozzarella em fatias finas

Recheio:

500 g de macarrão Cabelo de Anjo, de preferência grano duro.

200 g de queijo Gorgonzola amassado com um garfo

2 xícaras (das de chá) de nozes picadas finamente

Azeite de boa qualidade,

Sal e pimenta à gosto

Para a Finalização:

1 xícara de queijo parmesão ralado em ralo grosso para polvilhar

Modo de preparar:

Cozinhar o macarrão em água fervente com sal e um fio de azeite e deixar al dente parando o cozimento com um choque térmico em água fria. Escorrer a água e colocar o macarrão em uma vasilha grande. Juntar o queijo Gorgonzola amassado, as nozes picadas, o sal, a pimenta do reino e regar com azeite. Misturar bem. Estender cada fatia de presunto, cobrir com uma fatia de Mozzarella, colocar uma porção da mistura de macarrão e enrolar como uma panqueca. Cortar “a panqueca” em três pedaços. Arrumar, cada pedaço dos rolinhos, em pé, em uma travessa que possa ir do forno direto para a mesa. Regar alternadamente e delicadamente com os dois molhos, o branco e o vermelho. Polvilhar com queijo parmesão, levar ao forno pré-aquecido para gratinar. Servir ainda quente.

Molhos:

Molho de tomates

750 g de molho de tomates (usar a sua receita)

Molho Branco

1 l de molho Branco

Ingredientes:

100 g manteiga

3 colheres (sopa) de farinha de trigo

1 litro de leite

½ xícara de queijo parmesão ralado

1 caixinha de creme de leite

Sal, pimenta-do-reino branca, noz moscada e temperos a gosto

Modo de preparar:

Em uma panela, derreter a manteiga e colocar a farinha de trigo. Mexer até dourar. Despejar de uma só vez o leite e mexer até desmanchar toda a farinha. Temperar com o sal, a pimenta, a noz moscada e deixar ferver por alguns minutos. Desligar o fogo, misturar o creme de leite. Deixar esfriar um pouco e usar.

Comentários

COZINHARTE

Goretti Mendes

Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Federal de Pernambuco. Também é especialista em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Piauí. Amante da arte sob qualquer forma de expressão, vê na Gastronomia e na Arquitetura artes que se complementam.

Sobre o Blog

Nesta coluna abordaremos os mais diversos assuntos sobre a arte de cozinhar, sobre boas experiências na cozinha. Falaremos da arquitetura como arte complementar da gastronomia.

Apoio:

Colunas e Blogs