Impacto do bolsa família na economia parnaíbana

Programa de transferência de renda “Bolsa Família” tem desde sua criação, ou melhor, união com outros programas gerado grandes divergências entre políticos, cidadãos e principalmente na sociedade. A discussão sobre distribuição de renda tem origem centenária se não dizer milenar, contudo, muitos pensam a distribuição e equidade econômica uma UTOPIA. Pois bem, este programa distribui no Brasil um valor aproximadamente 24 bilhões de Reais por ano (2014), é impossível identificar quanto cada brasileiro paga desta conta, pois o valor é captado a partir de impostos, os ricos que pagam impostos mais elevados têm maior parcela, os pobres também, inclusive o próprio beneficiado ao consumir bens ou serviços também colaboram para fechar esta conta bilionária.

É importante ressaltar que este valor gera riqueza e esta riqueza é a seguinte: a cada 1 real gasto com bolsa família gera no PIB do País RS 1,78 ou seja 24 bilhões investido gera cerca de 42.720 bilhões de reais no PIB do País, é um acréscimo considerável. Falando agora de nossa Parnaíba, a cidade foi beneficiada com 9.907 famílias, o valor repassado médio foi de R$ 145,57 por família, o total de valor inserido em nossa economia em janeiro de 2018 foi de R$ 1.442.136,00 . Como cada R$ 1,00 investido na economia é multiplicado para RS 1,78, significa que só em janeiro o Programa injetou na economia local o valor de R$ 2.595.844,80 , dinheiro muito bem aplicado na compra de produtos da cesta básica. No ano de 2017 o total pago foi R$16.942.945,00 pelo efeito multiplicador de 1,78 a soma chega à R$ 30.158.442,10 .

O Bolsa Família é caro e em muitos casos complexos, existem críticas acerca da quantidade de pobres existentes no País e a quantidade de beneficiados pelo programa 50 milhões (25% da população), existem críticas sobre o valor gasto e principalmente acusações de que o programa tem propriedades eleitorais e promove a preguiça e tantos outras críticas. Por fim, não devemos esquecer que o Programa reduziu pela metade o número de pessoas vivendo em extrema pobreza: de 25,6% da população em 1990 para 4,8% em 2008. Segundo dados do Ipea, o Bolsa Família foi responsável por 28% da queda da extrema pobreza brasileira. Creio que o mais importante de tudo se trata do acesso à educação aos jovens de famílias contemplados, estes jovens podem estudar, traçar seus futuros, sonhar e com certeza minimizar índices como a criminalidade. Portanto, o programa, mesmo indicando falhas e precisando de evoluções depois destes anos, ainda colabora para a sobrevivência de famílias, realização de sonhos, construir um País mais justo e uma Parnaíba melhor.

Comentários

PARNAÍBA EM FOCO

José Mailson Marques

José Mailson Marques da Graça é acadêmico do Curso de Ciências Econômicas na Universidade Federal do Piauí, pesquisador da economia parnaibana onde desenvolve pesquisas principalmente na área do empreendedorismo e inflação local. É colunista de economia e política do site IGSweb.com em Pernambuco, colunista do portal Piauihoje.com e também é empresário da área da educação profissionalizante.

Sobre o Blog

O blog trás noticias e reflexões que envolvem política e economia na região norte do estado.

Apoio: