Firmino pega táxi para dizer que é contra aplicativos de transporte

Firmino , Dona Lucy e Francisco Taxista Firmino , Dona Lucy e Francisco TaxistaFoto: Reprodução

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), acompanhado da primeira-dama Lucy Silveira, pagou R$10 por uma corrida de taxi na tarde de quinta-feira (2). Fã das mídias eletrônicas, Firmino Filho gravou um áudio no trajeto, quando o motorista foi obrigado a realizar várias manobras para desviar dos buracos no asfalto da via. E comentou a aprovação pelo Congresso da legalidade dos aplicativos de transportes, como Uber, 99 e Cabify.

“Estamos indo para casa usando o taxi que é o transporte legalizado de Teresina. É com muita satisfação que fazemos essa viagem e ao mesmo tempo estamos muito preocupados com essa nova legislação federal que foi aprovada. Eu estive conversando para saber quais medidas legais poderemos adotar”, afirmou o prefeito no vídeo postado nas redes sociais.

O prefeito parece ainda não leu a Lei aprovada pelo Congresso, que segue para sanção pelo presidente Michel Temer. Às prefeituras caberá cumprir a lei federal. Ponto.

O prefeito poderá estabelecer a cobrança dos tributos municipais devidos, exigir a contratação de seguro de acidentes pessoais a passageiros e do seguro obrigatório (DPVAT) e a inscrição do motorista como contribuinte individual no INSS. Mais nada. É o que determina a lei.

Dos motoristas dos veículos que usam esses aplicativos para atender às chamadas será exigido, além da Carteira Nacional de Habilitação na categoria B ou superior que tenha a informação de que ele exerce atividade remunerada, conduzir veículo que atenda a requisitos como idade máxima e que tenha as características exigidas pelas autoridades de trânsito; emitir e manter o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV); e apresentar certidão negativa de antecedentes criminais.

Ao contrário do resto do mundo, Teresina ainda respira o odor mofado de província. Enquanto em outras capitais, as prefeituras investem em ciclovias, em transportes coletivos modernos e eficientes, como o metrô [não essa “maria fumaça” que circula nos poucos quilômetros de linha férrea ainda existente entre o Centro e o Dirceu], o VLT [veículo leve sobre trilhos]... em Teresina se tenta manter um serviço caro e pouco eficiente. Tente pegar um táxi à noite, sem ter um telefone para fazer a chamada. Não existe. Os taxistas estão parados, com medo da insegurança que dominou Teresina e aterroriza o Piauí.

Mas impressionou não foi a postura do prefeito contra os aplicativos - o que deve lhe render muitos votos dos eleitores clientes do Uber em Teresina -, mas o valor da corrida: R$ 10,00. Pelo preço caro cobrado pelos taxistas na capital do Piauí, Firmino Filho deve ter ido de taxi do Palácio da Cidade até o Troca-troca.

Comentários