CONCISO

Por Joaquim Lourenço

Divergências acontecem

Esquerda x Direita Esquerda x DireitaFoto: Imagem Ilustrativa/Google

Segundo as escrituras sagradas, Jesus escolheu Simão dentre um de seus apóstolos. Chamou-lhe de Pedro e fundador de sua igreja (Mateus 16:18), vindo a ser o primeiro Papa da religião católica. Pedro foi um bom discípulo. Amava e de grande lealdade ao seu Mestre, a tal ponto de, também crucificado, pedira para ficar de cabeça para baixo, pois entendia sofrer mais naquele momento.

Mas a relação de Jesus com Pedro, de acordo com a Bíblia, não foi sempre das melhores. Em uma passagem, quando Cristo caminhava sobre as águas chamou-o para fazer o mesmo e Pedro não obtendo sucesso, ouviu “homem de pouca fé, porque duvidastes?” (Mateus 14:31). Jesus sabia do poder que possuía e estava lá para mostrar, mas Pedro não confiou.

Em outra parte, Pedro relata a Jesus que sempre lhe será leal e ouvindo do Messias “você me negará três vezes antes do galo cantar” (Mateus 26:34). A resposta de Pedro fora negativa, mas ocorreu justamente como Jesus profetizava. Pedro o negou e, mesmo assim, Jesus o perdoou. Pois o aceitava como era, sabia de suas falhas como homem e conhecia tão bem suas virtudes.

Relato essas passagens porque em tempos de debates acalorados por conta da situação econômica e política do país, as desavenças e divergências acontecem numa frequência mais intensa. A dualidade Esquerda x Direita impõe aos seus membros, a crença de ser o lado oposto o responsável pelo caos e procura de todas as formas isentarem-se de qualquer vestígio de culpa.

Lamento informar aos navegantes, mas todos nós contribuímos para essa situação. Vamos a elas.

A Direita por sua sabotagem perante o governo legítimo. O próprio candidato a presidência derrota declarou “entramos na justiça para encher o saco”, sem falar no conluio entre os parlamentares para aprovar pautas-bombas e atrapalhar os projetos do governo de outrora. A grande mídia (mais tendente à direita) também contribuiu.

Na Esquerda, juntar-se àqueles inconfiáveis e que depois iriam trair foi um dos piores. Não ter agido com mais veemência nas ditas jornadas de junho de 2013 e sem falar na falta de traquejo com o legislativo, pondo fim à governabilidade. “Ah, mas o congresso é formado por bandidos...” sim, eu sei, mas se são eles que estão lá que houvesse uma melhor precaução e evitasse a volta da Direita ao poder, transformando o país em vexame internacional.

Evidente ser muito importante o debate, devendo haver sempre. Pois é por ele que colocamos em evidência nossas crenças e a partir do contraponto aprimorar nossa convicção. Para, quem sabe, até mudá-la, tendo em vista entender não está totalmente de acordo com os fatos. Mas isso só é possível com respeito e manter a discussão sem nenhum tipo de agressão, porque não podemos impor nosso ponto de vista e tampouco acharmos o dono da razão.

Assim como fez Jesus com Pedro, saibamos enxergar o melhor em nossos semelhantes e crescermos com essas diferenças. Principalmente as ideológicas.

Comentários