A arte em logradouros públicos de Teresina

Mural do artista Gabriel Arcanjo na avenida Boa Esperança Mural do artista Gabriel Arcanjo na avenida Boa EsperançaFoto: Samuel Brandão
Teresina possui um acervo diverso, a céu aberto, de obras de arte em seus logradouros públicos, são: murais, mosaicos, conjuntos escultóricos, instalações, painéis fotográficos e mais recentemente, os graffitis, muitos dessas obras já tem uma longevidade nas tardes da capital e interagem com o olhar do espectador, mas sua validade e importância dependem da apropriação popular.

Antes da ascenção do graffiti e da arte urbana, Teresina contava com um acervo diverso de grandes murais e painéis, devido ás mudanças proporcionadas pela crescente urbanização e pela ação do tempo, muitos deles foram descaracterizados ou mesmo destruídos, tanto pela ação ou descaso do poder público quanto privado, deixando uma lacuna paisagística na memória dos citadinos, resta saber se foram tomados os devidos cuidados, se houve apreciação por parte de algum orgão responsável à época e se existe um estudo de impacto, por se tratar de um bem público. Mas como a cidade se dinamiza, outros novos surgiram e inclusive, o graffiti conseguiu em pouco tempo uma grande expressividade.

Mural de Antônio Amaral no Teatro 4 de Setembro Mural de Antônio Amaral no Teatro 4 de Setembro Foto: Samuel Brandão

Mas como se dá o processo de proteção e manutenção dessas obras de arte? Existem politicas publicas voltadas para isso? Existe uma ênfase na visibilidade para que tais obras possam dialogar com os transeuntes ou mesmo se tornarem pontos de visitação turística? Existe algum meio educativo ou informativo que faça uma analise da ideia proposta pela obra de arte? Uma obra em local público, pertencendo à iniciativa privada deve estar suscetível à deliberação dos proprietários? Essas são algumas das indagações que permeiam esse caso, nem tão urgente.

Conjunto esculturórico em metal de Carlos Martins no balão da UFPI Conjunto esculturórico em metal de Carlos Martins no balão da UFPI Foto: Samuel Brandão

Muitas dessas obras revelam a história da nossa cidade, exemplo disso é o conjunto escultórico presente no balão da avenida Raul Lopes com Petrônio Portela, próximo à Universidade Federal do Piauí. O conjunto faz menção à história da formação do povo do estado do Piauí e da capital Teresina, possuía em seu repertório “o memorial dos negros”, “o memorial dos índios” e uma escultura em metal que mostra o branco bandeirante e colonizador, Domingos Jorge Velho, exterminando as nações indígenas que aqui viviam, dessas três esculturas, somente a última ainda existe. Outros que merecem destaque são os murais de Nonato Oliveira que fazem uma amálgama da cultura teresinense, piauiense e nordestina e que vem se descaracterizando, esmaecendo nas tardes da cidade.

Mural em mosaico de Fátima Campos na Câmara dos Vereadores de Teresina Mural em mosaico de Fátima Campos na Câmara dos Vereadores de Teresina Foto: Samuel Brandão
As obras de arte em locais públicos possibilitam, de uma forma não onerosa, um dialogo artístico, histórico, estético e cultural com expectadores e transeuntes, revelando a face da cidadania através da expressão artística, mas é preciso que hajam boas condições de visibilidade, manutenção e se possível algum meio de informação e educação sobre a proposição da obra, principalmente no sistema de educação, assim facilitaria uma melhor apropriação da população em relação ao seu patrimônio cultural. Mural de Nonato Oliveira na avenida Marechal Castelo Branco Mural de Nonato Oliveira na avenida Marechal Castelo Branco Foto: Samuel Brandão

Comentários

ARTEFATO

Samuel

Trabalha como DJ e proprietário do La Ville Ristobar

Sobre o Blog

O que acontece no espaço cultural "Teresina", localizado embaixo da Ponte Juscelino Kubitschek, na Marechal castelo Branco

Apoio: